Era outubro de 1985, estava grávida de seis semanas do meu terceiro filho. Eu era uma daquelas que sofria com enjôos a maior parte do dia. Havia passado as últimas oito horas em um treinamento obrigatório de enfermeiras. Estava casada e ansiosa para pegar minhas duas filhas e ir para casa. Quando entrei em nosso Honda Accord para dirigir pela cidade até a casa da minha amiga onde as meninas estavam me esperando, um pensamento passou por minha mente: “Você sofrerá uma acidente hoje. Seja cuidadosa e dirija devagar.”

Opa! De onde veio esse pensamento? Será que estou tão cansada e enjoada para até ter pensamentos mórbidos? Tentei desviar o pensamento de minha mente, mas voltou novamente antes de sair do estacionamento.
Atravessei a área residencial dirigindo cautelosamente. Mesmo que o trânsito estivesse tranquilo, parava e olhava duas vezes antes de prosseguir por cada sinal de pare.
 Logo estava seguindo para Downer Grove na rua 57, uma pista com quatro faixas. O trânsito continuava surpreendentemente tranquilo, ainda assim dirigia cuidadosamente, olhando para todos os lados da rua. Antecipava cada luz verde ao se tornar amarela, e parava com antecedência. Dirigia na faixa da direita, permitindo que os motoristas mais apressados passassem pela esquerda.
Estava quase chegando ao meu destino quando uma pickup, que havia me ultrapassado, entrou na faixa para virar à esquerda e ficou parada no meio da intersecção. Quando estava para entrar na mesma intersecção, um carro vindo de outra direção apareceu em minha frente. Pisei nos freios, desviei para a esquerda, e gritei: “Ó Deus, me salva!”
 Apesar de meus esforços para evitar a colisão, colidimos na intersecção. Ouvi o som de metal moendo, vidro quebrando, pessoas gritando e eu estava quase paralisada de medo.
Esperei por um momento, e tudo estava quieto. Queria saber se estava tudo bem comigo. Fazendo uma rápida avaliação mental, percebi que não estava gravemente ferida. Então minha mente se voltou para as pessoas no outro carro. Ambas senhoras estavam gritando de medo e dor, e pude ver sangue na face de uma delas.
Dentro de poucos minutos, que pareceram horas, pessoas vieram nos ajudar e um policial chegou para fazer a ocorrência e chamar a assistência médica. Enquanto isso me lembrei da advertência que recebera antes de sair do hospital aquele dia. Será que Deus tinha me preparado para aquela prova? Será que me advertira para não sair com pressa, como de costume, para me livrar de um acidente pior ou até mesmo fatal?
 
Que você acha?
Eu sei a resposta. Eu sabia a resposta naquele dia. Senti Seu tenro amor e cuidado apesar de não estar pensando nEle durante a correria e as circunstâncias do meu dia. Sei que Ele salvou a minha vida e a vida daquelas outras duas senhoras. Ele é um Deus amoroso e muito pessoal!
Tenho certeza que muitos de vocês experimentam situações semelhantes onde a voz suave e mansa de Deus traz pensamentos a sua mente. Talvez Ele diga: “Não faça isso”, “Não diga isso”, “Tenha cuidado”, “Preste atenção”, ou “Vá com calma”. Você está ouvindo?
Por que essa pequena história é significante? Não é apenas porque Deus me advertiu, ou me impediu de sofrer ferimentos graves ou até mesmo morrer. Mas, porque comecei a perceber como nunca antes que Ele está pessoalmente interessado em minha vida e anseia conduzir a mim – e a cada um de nós – a cada momento do dia.
Este evento me motivou a considerar o pouco tempo que passava com Ele pessoalmente, e achava que estava fazendo o necessário. Oh sim, eu orava, ia à igreja. Eu até ajudava a liderar muitos dos programas da igreja. Eu vivia uma vida saudável e não tinha maus hábitos. Mas, na verdade não tinha uma consciência real de Sua presença comigo, apesar de que durante os meses anteriores meu esposo e eu tínhamos começado a passar tempo com Ele regularmente.
Através dessa experiência, percebi não apenas Seu amor e cuidado para comigo, mas também comecei a sentir mais a minha necessidade dEle. Durante minha recuperação, tive muito mais tempo para reflexão e para buscá-Lo. O amor reage ao amor, e foi isto que começou a ocorrer em meu coração. Comecei a amá-Lo mais por amar-me quando ainda estava muito atarefada e preocupada para Ele. Comecei a querer ler e estudar mais Sua Palavra para me familiarizar mais com Ele. Queria conhecer a vontade dEle para mim de modo como jamais pensara antes. Queria Sua sabedoria e direção em minha vida, e Ele estava lá, multiplicando cada pequeno esforço que fazia para preencher o desejo em meu coração.
Com o passar do tempo, Deus nos revelou muitas bênçãos que resultaram do acidente. Primeiro, passar mais tempo com Ele de modo pessoal produziu um compromisso mais profundo para ser conduzida por Ele. Segundo, me deu mais tempo com meus filhos para realmente me sintonizar com eles, pois não estava mais preocupado com meus outros interesses. Isto nos ajudou também a obter fundos adicionais para fazer nossa mudança para o campo. E por último, me ajudou a começar aprender como depender de Deus quando estou em dor ou não me sinto bem.
Com o passar dos anos, após este período, tenho começado a amar e apreciar meu momento de comunhão com Deus e Sua Palavra, que verdadeiramente tem sido uma lâmpada para meus pés e uma luz para meu caminho (Salmo 119:105). Nela tenho encontrado orientação e conforto que jamais conhecera antes. Ela não é apenas um livro de história, mas uma fonte viva para a caminhada cristã diária. Ao fazer tempo para buscar a Ele e Sua vontade para mim como esposa e mãe, tenho ficado impressionada ao ver quão poderosamente Seus princípios funcionam quando me rendo a Ele e recebo Sua graça que me capacita a pô-los em prática.
Gostaria de compartilhar com você um dos simples exemplos de como o amor de Deus tem se tornado vivo para mim através da Sua Palavra. Ao ler sobre os homens fiéis do passado, Deus me mostrou que existem princípios que posso aprender como mãe para treinar e preparar meus filhos para serem fiéis a Ele a despeito das provas que possam enfrentar. Ao estudar a vida de Cristo, Davi, Elias, João Batista, José e muitos outros vejo uma imagem clara de um Deus amoroso e pessoal que conduziu esses homens nos detalhes do dia a dia e aparentemente insignificantes da vida, e que ainda os estava guiando ao tomarem decisões que transformaram o mundo. Vi alguns caminhos comuns que contribuíram para tornar estes homens o que Deus queria que fossem. Foi emocionante ver, e eu desejava seguir os princípios com minha família.
Primeiro, cada um desses homens viveu em um ambiente mais rural – no deserto, na quietude do campo, em uma pequena vila da montanha, num lugar retirado, ou na planície. Eles não cresceram na cidade com todas as atrações e distrações que bombardeavam os sentidos. Cada avenida possível estava fechada para a tentação.
Depois, notei que a vida deles era modesta e simples. Eles foram treinados nos deveres práticos e diários da vida, frequentemente passando por provas e privações. Alguns deles eram pobres quanto aos bens deste mundo, tendo uma vida bem humilde. Todos eles aprenderam a ouvir e obedecer a instruções.
Mais adiante, notei a inspiradora descrição do caráter destes homens formado na infância. Eles tinham mãos prestativas, e eram trabalhadores determinados. Eram alegres e altruístas, no entanto, perseverantes e destemidos. Autenticidade e integridade caracterizavam suas vidas, independente da oposição. Aprenderam a controlar seus pensamentos, e tiveram firmeza moral em meio à imoralidade. Seus pais os treinaram para serem úteis, corteses, alegres, firmes, e fiéis nas pequenas coisas.
Que Deus amoroso, que não apenas me mostrou como desenvolver esses atributos em minha própria vida, mas também como educar meus filhos! Ele diz: “Instruir-te-ei e te ensinarei o caminho que deves seguir; e, sob as minhas vistas, te darei conselho.”(Sl. 32:8) Eu acredito que Ele não somente me dá Sua sabedoria, mas também sua força (Mat. 19:26) para cumprir esse chamado. Ele almeja ensinar pessoalmente a cada um de nós Sua vontade e seus caminhos. Ele quer mostrar a mim – e a você também – que nEle todas as coisas são possíveis. Tenho sido grandemente encorajada e motivada por Seu amor demonstrado em Sua Palavra e através do Seu Espírito trabalhando em meu coração. Almejo fazer tudo o que Ele me mostra.
 
                Os resultados da educação fiel provida pelos pais não somente trazem a recompensa da honra de Deus nesta vida, mas, o mais importante, a recompensa da eternidade com o Deus de amor. Nós, também, podemos começar a experimentar os resultados em nossa vida diária assim como em nossa família. Verdadeiramente este é o caminho mais feliz que tenho encontrado para viver e espero pela recompensa final com Ele.
 
Comecei a ver que tudo normalmente visto como vantagem para o sucesso é contrario ao caminho que estes homens seguiram. O ambiente da cidade ou subúrbio com casas de todos os lados; o trânsito; constantes barulhos de TV e rádios, sirenes, trens, e aviões; as intermináveis luzes dos faróis da rua e as luzes neon – tudo mantém os sensos constantemente estimulados. A vida de casa é sempre extravagante e de pelúcia. A ociosidade e divertimento são procurados, levando indivíduos e família a estarem apressados, com falta de tempo, e pressionados. O tempo com Deus e a percepção de Sua amorosa presença são as faltas na vida até dos professos cristãos.
 
Muitas pessoas são levadas para este estilo de vida mesmo quando vivem no campo. Isto é visível no caráter exigente, impaciente, desrespeitoso, desobediente de crianças e igualmente de adultos. Embora estes resultados não sejam planejados, eles naturalmente causam a exclusão de Deus do coração e vida. Lamentavelmente, eles levam ao vazio atual e à perdição eterna.
 
Ao estudar a Inspiração, tenho visto o contraste entre dois estilos de vida. Mesmo se não for possível para alguém residir na quietude do campo, não é preciso aceitar e viver de acordo com as normas do mundo. O que escolhemos fazer em nossa vida em casa é a chave para a direção que nós, assim como nossas crianças, seguiremos. Se escolhermos nos conectar com Deus em nossas circunstancias atuais e permitir que Ele nos dirija e nos guie, Ele não somente direcionará nossos passos, mas também nos fortalecerá para cumprirmos Sua vontade. Ele é um Deus amoroso e pessoal.
 
Estou compreendendo mais e mais a orientação da voz calma e quieta de Deus – a impressão silenciosa em meu coração. O que parecia estranho há quinze anos, antes do acidente, agora reconheço como sendo meu Deus amoroso e pessoal orientando-me nos pormenores de minha vida. Tenho conhecido Seu chamado ao meu coração. Enquanto aprendo, Ele como fala comigo através de Sua voz escrita. Ele sempre traz à minha mente as coisas que me mostra em meu momento de comunhão com Ele, e me ajuda a escolher o melhor caminho. Ele continua a buscar o meu coração para que, como uma mãe em cooperação com Ele, eduque meus filhos em Seus caminhos. Ele revela os traços de caráter que O honram, e me ajuda a compreender como cultivá-los em meu próprio coração assim como no de meus filhos.
 
A obediência, motivada pelo amor a Ele, é o fundamento de um relacionamento vital e real. Enquanto aprendo a responder ao Seu amor, Ele me ajuda a compreender como educar meus filhos através do amor para serem obedientes tanto aos pais como a Deus. Esta experiência continua a crescer mesmo durante os anos da adolescência.
 
Recentemente, estávamos ajudando uma família com filhos pequenos a ajuntar madeiras para o inverno. Em uma das viagens de volta para casa com uma camionete cheia de madeira, perguntei à mãe se sua filhinha poderia vir na carroceria conosco. A menina ficou encantada com o convite e com a aprovação de sua mãe. Dirigimos bem devagar, e ela realmente gostou da nova experiência. Após carregar a carroceria novamente e estarmos prontos para retornar com a carga, me senti fortemente impressionada a não viajar na carroceria da camionete, nem de deixar a menininha ir também. Quem você acha que me deu este pensamento? Eu sei que era o meu Deus amoroso e pessoal. É claro, a menininha queria ir atrás novamente, mas eu disse para sua mãe que sentia que não devêssemos ir atrás desta vez.
 
Poucos segundos depois da camionete começar a subir a colina, a carga deslocou e caiu bem no local onde estaríamos sentadas. Quão grata fiquei por ter ouvido ao meu Deus amoroso e pessoal e ter consentido sem questionar ou não dar importância a sua mensagem. Quão grata fiquei também pela menininha ter escolhido obedecer minha recusa de ir atrás sem inquietar-se e chorar.
 
Considero meu tempo de comunhão com Deus e o estudo de Sua Palavra como um preparo para o meu dia. Encontro encorajamento e força para enfrentar cada desafio ao caminhar com Deus por todo o dia. Ele tem me dado esperança em momento de desespero. Tem me fortalecido quando me encontro fraca. Tem me instruído quando as circunstâncias parecem confusas e incertas. Ele é um Deus pessoal, e estou aprendendo cada dia a confiar mais nEle e a reagir ao Seu amor com amor. Sou desafiada e motivada a ser tudo que Ele deseja que eu seja.
 
Você tem experimentado Seu amor? Você está ciente da direção pessoal dEle em sua vida? Se não, você pode ficar. Isso requer uma simples escolha de dizer: “Senhor, quero que seja real para mim em minha vida.” E Ele será! Mas você deve compreender que Ele desejará guiá-lo em todas as áreas de sua vida – não somente naquelas que você não pode administrar, mas também naquelas que você tem administrado. Você precisa entregar tudo! Então, Ele será tudo e em estará em tudo para você.  Cada dia você ficará mais e mais apaixonado por Ele, passando tempo com Ele em Sua Palavra e em uma comunhão consciente mesmo nas pequenas coisas, quer esteja saindo de um estacionamento, ou na carroceria de uma camionete com uma carga de madeira. Ele é um Deus amoroso, pessoal!
 
Uma coisa que me ajudou a ver as lições que Deus quer me ensinar através de Sua Palavra é colocá-las no papel. Por exemplo, quando eu estava estudando como os vários homens da Bíblia responderam ao amor de Deus, fiz um simples esboço de minhas descobertas, e dei o título de Atributos Especialmente Necessários para as Crianças. Isso me permitiu ver em um relance o que Deus quer que eu veja e compreenda. Esta prática tem me ajudado a manter o foco dia após dia.
 
Um dia, apenas por brincadeira, pedi a minha família que associassem cada personagem da Bíblia com a descrição correspondente de sua vida doméstica e caráter. Li cada lista descritiva, e eles identificaram a pessoa. Então examinamos os resultados. Que motivação foi para todos nós! Tente isso com sua própria família!
 
Acho que o exemplo deste simples esboço, também pode lhe ajudar, ao estudar, a extrair da Bíblia o que Deus pode estar tentando lhe comunicar. Você pode usar isto como um trampolim para muitas áreas de estudo pessoal. Depois o use em sua família e encoraje a cada um com o pensamento de que Deus está pessoalmente interessado em nós, nossas escolhas, nosso destino, pois Ele é um Deus amoroso e pessoal.
 
Atributos Especialmente Necessários Para Crianças
 
Divirta-se um pouco e tente associar o homem (Davi, João Batista, Jesus, Elias, ou José) à descrição inspirada e personalize isso para sua vida e família.
Local de Moradia:
 
 
 
 
Pequena vila na montanha
Quietude do campo
Retirado
Morava na planície
Região isolada
 
 
 
 
 
Vida doméstica:
 
 
 
 
Calmo, simples, sem exibição, escassez, pobreza, dificuldade, ajudante dos pais, instruído pela mãe
Educado em hábitos de simplicidade, adoração pura, vida prática diária
Passou riscos e dificuldades, vida humilde, trabalhava para Deus, comunhão diária
Simples, puro, alegre, se tornou escravo, prova, sofrimento, instruído pelo pai
No campo, simplicidade, abnegação, homem estudioso, deveres diários
 
 
 
 
 
Qualidades de caráter desenvolvidas:
 
 
 
Prestativo, trabalhador, altruísta, fiel, agradável, firme como a rocha com relação ao princípio, paciente
Tranquilo, gentil, energético, fiel nas pequenas coisas, cooperador
Alegre, corajoso, fiel, persistente, adorador de Deus, reverente
Obediente, verdadeiro, gentil, fiel, moral firme
Auxiliador, fiel, firme; palavras francas, exatas e esperançosas; renuncia do eu
 
 
 
 
 
Resultados:
 
 
 
 
Não a minha vontade, mas a de Deus seja feita
Deus honrado, confiança total em Deus
Coração e mente fortalecidos
Protegido, simplicidade e fidelidade a Deus
Sabia como alcançar os homens com a verdade em amor


 
Todos foram fiéis a Deus e ao seu chamado, pois Deus era para eles um Deus amoroso e pessoal!
 
Escrito por Alane Waters. Traduzido por Dawerne Bazan com permissão do Restoration International (http://www.restoration-international.org/).
Um Deus Amoroso e Pessoal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *