O que você faz quando está frustrado com alguém e não consegue mudar seu coração, não consegue perdoar, nem aceitar a opinião dele? A Bíblia diz que só Deus pode mudar nosso coração: “Darei a eles um coração não dividido e porei um novo espírito dentro deles; retirarei deles o coração de pedra e lhes darei um coração de carne” Ezequiel 11:19. Mas como será que isto funciona na prática? 

Alguns anos atrás Deus começou a usar um sistema comigo que chamo de “Terapia da Gaveta”.  A primeira vez foi mais ou menos assim…
Certo dia eu estava tentando resolver alguma coisa com meu esposo, só que eu tinha uma opinião e ele outra, contrária à minha. Não conseguíamos chegar a um acordo e eu saí de perto dele muito frustrada. Fui para o quarto, sentei na cama e fiquei alimentando aqueles pensamentos descontentes. Comecei a resmungar para Deus esperando que Ele me “desse razão” e Ele simplesmente impressionou meu coração com o seguinte pensamento: “Arrume as gavetas dele”.
“O quê?” eu pensei, “no momento estou tão frustrada que não que não tenho vontade de fazer nada para ele, muito menos arrumar suas gavetas”. Mas, novamente a mesma impressão veio à minha mente “arrume as gavetas dele”.
Levantei-me muito sem vontade, mas resolvi arrumar as gavetas. No início estava remoendo as frustrações e comecei a fazer de má vontade, o mínimo possível, mas Deus tocou meu coração novamente para que fizesse meu melhor. Depois me veio o pensamento de que talvez de alguma forma fazendo uma “boa ação” para ele, ele mudaria de idéia. Com o passar do tempo, no entanto, percebi que era meu coração que precisava de uma mudança e era nele que Deus estava trabalhando, não no coração do meu esposo.
Naquele processo, enquanto ia dobrando as roupas algo surpreendente começou a acontecer. Comecei a ter “bons” pensamentos sobre meu esposo. Comecei a pensar nas coisas boas que ele faz por mim, no quanto ele cuida de mim, nas boas qualidades que ele tem… e toda aquela frustração, aos poucos, foi passando. Terminei de arrumar as gavetas e resolvi olhar o guarda roupa dele também. A esta altura meu coração já estava tão cheio de amor por ele, que fiz o meu melhor, arrumei os sapatos e até organizei as camisas por cor.
Depois fiquei pensando, “de onde veio esse amor, esses pensamentos bons”. Eu jamais poderia fabricá-los da minha própria vontade, foi Deus quem os colocou em meu coração. “Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade” Fil. 2:13. A minha parte foi me submeter à Sua vontade, isto é ouvir as suas impressões e escolher obedecer.
Compreendi que era o inimigo que queria destruir meu relacionamento com meu esposo e por isso estava colocando aqueles pensamentos negativos em meu coração. Até mesmo depois de ter arrumado tudo ele ainda me tentou com o desejo de querer que meu esposo viesse me agradecer pelo que fiz, mas Deus imediatamente tocou meu coração de que aquela não era a razão pela qual eu havia arrumado.
Faz uns cinco anos que passei pela terapia da gaveta pela primeira vez. Desde então, tenho notado que Deus tem usado o mesmo “tratamento” comigo outras vezes quando preciso de uma mudança de coração em relação ao meu esposo e até mesmo minhas filhas. E sabe de uma coisa, sempre funciona!
Não sei qual tipo de terapia Deus tem usado em você. Quando estiver muito frustrado, converse com Ele, e Ele vai lhe indicar a melhor coisa a fazer. Lembre-se de que sozinho não somos capazes de mudar nosso coração. Não somos capazes nem mesmo de ter disposição para mudar. Mas podemos pedir que Deus nos dê disposição, que Deus nos dê vontade e Ele operará um milagre em nós se assim O permitirmos.
Terapia da Gaveta

5 ideias sobre “Terapia da Gaveta

  • 29 de setembro de 2017 em 20:59
    Permalink

    Boa noite. To lendo tudo e gostando muito de ver Deus agindo nos corações e nos ensinando a caminhar junto dEle. Tenho uma terapia semelhante, mas não preciso arrumar as gavetas de meu esposo, mas achei agradável a ideia de fazer algo por ele ou por meu filhote nestes momentos difíceis, na realidade estou fazendo por mim né, meu caráter que vai sendo edificado, minha fé fortalecida e o amor mais evidente e eles que ganham, aliás todos ganhamos. Bjinhus Karine

    Resposta
  • 30 de Abril de 2012 em 02:40
    Permalink

    Oi Pâmela, bem vinda! Como dizem: Vivendo e aprendendo. Nosso Deus é muito bom de ter paciência e nos ensinar de modo tão prático o que precisamos aprender. Abraço, Rute

    Resposta

Deixe uma resposta para selma Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *