Sally Hohnberger
Conforme eu lia rapidamente, pensando que tinha tanto para ler e tão pouco tempo para aprender tudo que precisava aprender, percebi que não era capaz de reter o que tinha lido. Frustrada, busquei a vontade de Deus para mim. Ele me fez lembrar de um amigo que dizia: “Estude mais devagar para que possa aprender mais rápido.” Bem, aquele conselho parecia tolice quando o ouvi, pois tinha tantos livros para ler. Como poderia adquirir todo aquele conhecimento se não lesse rapidamente? Ao sentir que Deus estava me pedindo para ler mais devagar, procurei fazê-lo. Amigos, ao ler devagar realmente aprendi mais rápido. A graça e a virtude auxiliaram nesse método. Deus me ajudou a tornar a Bíblia prática e me deu diretrizes para minha vida pessoal atual!
Estude Mais Devagar e Torne o Assunto Pessoal e Prático
Ler assemelha-se a comer. Você pode apenas comer uma certa quantia em cada refeição sem ter problemas de indigestão, fermentação e outros. O mesmo acontece na alimentação espiritual. Quando leio rápido demais, é como se estivesse engolindo minha comida sem mastigar corretamente.

Então pensei: “Se eu ler várias horas sem parar, será que isso vai me fazer mais bem do que se comer durante várias horas sem parar?” Pense sobre isso! Em meus estudos, portanto, vi a necessidade de parar de vez em quando e colocar meu garfo (livro) de lado, para poder mastigar e digerir (pensar ou orar sobre o assunto) o que estava lendo. Preciso aprender a ver e a perguntar: “O que este texto, este assunto está me ensinando agora para o que preciso?” Todos nós gastamos muita energia aplicando a Bíblia aos outros, não é mesmo?

Ao tentar resolver o problema, comecei a perceber que quando não parava depois de cada parágrafo para pensar sobre o que tinha lido, quero dizer mastigar o que havia acabado de ler, isso causava indigestão e confusão em minha mente. Eu não retinha o que tinha lido. Culpa e desespero eram comuns para mim, pois não estava vivendo à altura do que percebera ser o padrão de Deus para mim. Eu não sabia como obedecer. Retinha fatos vagos, mas não conceitos de como a leitura devia ser aplicada à prática em minha vida hoje.

Ponderar sobre meu dilema me ajudou a descobrir que não era de conhecimento que eu precisava, mas sim de decisão e aplicação de como seguir a Cristo agora com o que eu já sabia. Então, não me faria mal, ler mais devagar, faria? Essa é a religião experimental! Quando cooperei com Deus na reeducação de meus hábitos de leitura, descobri que primeiro precisava de muita submissão, para fazê-lo conforme a vontade de Deus e, em segundo lugar, de esforço para escolher negar meu velho hábito de ler sem parar. Assim descobri que conseguia reter o que lia. Isso me ajudou muito. Comecei até mesmo a me lembrar, como nunca antes, em que livro e em que página havia lido o que tivera significado pessoal e transformador para mim.
Comecei a perceber que é a Divindade trabalhando com a humanidade que faz a diferença. Descobri que para mudar hábitos eu tenho a minha parte e Deus tem a dEle. Seu eu não me esforçar Deus não pode acrescentar Sua graça capacitadora que multiplica meus esforços e faz a transformação de concepções errôneas ou de emoções em minha vida.
Ler mais devagar, aplicar as instruções para mim mesma, e perguntar: “Como esse conhecimento vai afetar minha reação em um problema com meu esposo, meus filhos, ou amigos em minha vida doméstica hoje?” Isso fez a diferença em minha maneira de reagir. Quando Jim e eu não víamos as coisas do mesmo modo, eu buscava a direção de Deus sobre o que fazer e Ele me instruía, muitas vezes de acordo com o que tinha acabado de ler. Geralmente começava com a entrega de errôneos sentimentos e emoções para Cristo abrandar antes de estar preparada para reagir como Ele gostaria. Desse modo, Cristo estava Se tornando um Salvador pessoal para mim. Como resultado, eu reagia mais devagar não somente ao meu esposo, mas também à irritação quando um conflito surgia entre meu filho e eu. Freqüentemente clamava a Deus e Ele me ajudava a saber como lidar corretamente com os vários conflitos. Meu filho era levado a entregar- se a Deus e experimentava intimamente a graça divina a transformar-lhe. Que bênção! Esta deve ser a escola de Cristo! Até mesmo a maneira como eu ministrava as matérias escolares e treinava a disposição deles mudou para melhor, pois Cristo era meu Diretor, liderando, orientando e me conduzindo no caminho que devia seguir. As prioridades na vida se tornaram distintas. O lar se tornou mais calmo, mais tranqüilo. Todos nós ficamos mais contentes como resultado de buscarmos e nos entregarmos à vontade e direção de Deus. Ele nos deu diretrizes concretas sobre como alcançar êxito nos estudos para esta vida, bem como no desenvolvimento do caráter para a vida presente e a vida eterna.
Descobri que o fato de ler a Bíblia e os livros do Espírito de Profecia dessa maneira transformava a minha vida. Deus se tornou uma ajuda real para mim pessoalmente. Descobri que Ele estava interessado em cada detalhe da minha vida e tinha orientações e conselhos específicos para mim. Creio que é aí que começa a piedade primitiva. Através desse relacionamento pessoal com Deus como meu Professor, Aquele que atualmente interpreta a Bíblia para mim, Ele toma o lugar correto como meu Deus. Minha dependência, confiança e obediência aumentaram ao cultivar esse novo hábito de ler mais devagar, com Deus.
Código de Cores
Para melhorar e dirigir nossa mente durante o estudo da Bíblia e do Espírito de Profecia, descobri que é muito útil marcar de maneira nítida e clara as diferentes idéias apresentadas usando um código de cores. Por exemplo, uma das primeiras lições que tive de aprender foi a diferença entre a obra de Deus e minha obra no processo da salvação. Então marquei minha parte da equação, o que eu devo fazer ou ser com a cor azul. Azul representava a obediência no santuário. Usei rosa para indicar a parte do meu filho ou qualquer coisa específica a bebês e crianças. Para marcar a parte de Deus usei vermelho. Vermelho representa o poder e sangue de Cristo que me purifica do pecado. Representa também Suas promessas, ou qualquer coisa que tenha a ver com Deus. Esta distinção me ajudou a ver que eu estava tentando fazer a parte de Deus e tentando mudar meus desejos e emoções. Não é de admirar que não estivesse conseguindo mudá-los.  Esse código de cores apresentou isso de maneira vívida à minha mente; assim pude cooperar e mudar a direção do meu esforço. Deus tem muito a nos dizer e ensinar pessoalmente
O alaranjado representa advertências, reprovações ou correções. O marrom é usado para os caminhos errados de Satanás. O marrom destaca pensamentos, palavras e atos malignos. O mal é qualquer forma de egoísmo. Comparei o marrom com a sujeira da qual necessitamos ser limpos. O verde salienta qualquer coisa relacionada à fé. Biblicamente o verde denota fé. O amarelo é usado para marcar qualquer informação que acho interessante ou quero destacar para ser capaz de encontrar posteriormente. Raramente uso esta cor para não ficar difícil de ler. Costumo circular palavras-chave ou tópicos nos quais tenho especial interesse de encontrar de relance mais tarde. As canetas que acho bem úteis para isso são as oito canetinhas coloridas da marca Pentel. Ela deixa a marca suave e não repulsiva. Discipline-se a sublinhar pouco, não tudo.
À medida que leio e releio os textos, esse código de cores reitera à minha mente qual é a parte de Deus e qual é a minha. Esse método me ajuda a reduzir a velocidade e me faz pensar mais. Consigo encontrar tópicos e referências com mais facilidade. Experimente esse código ou crie seu próprio sistema. Minha amiga Alane usa um sistema de código parecido, mas diverge um pouco do meu. Um sistema de marcação vai tornar seu momento de estudo mais significativo e lhe ajudará na retenção dessas verdades especiais. Ajudou-me principalmente a ver qual é a minha parte na cooperação com Cristo para minha libertação do pecado.
Três Disciplinas Para o “Eu”ao Estudar
A primeira disciplina é orar por iluminação divina antes e durante meu estudo. Essa é a disciplina para reconhecer nossa dependência de Deus a fim de ler e interpretar a Bíblia corretamente. Sem Cristo formularemos conceitos, mas não necessariamente conceitos e princípios celestiais. Não podemos aprender corretamente sem ter Cristo como nosso Professor continuamente nos conduzindo. A segunda disciplina é fazer uma aplicação pessoal através de reflexão sobre o que acabamos de ler. Isso não acontece apenas no final de uma hora de leitura. Ao contrário, são paradas freqüentes. Por vezes será necessário parar depois de cada verso ou de cada sentença dentro daquele verso que lhe impressiona a consciência. Pare e deixe Deus lhe instruir. Ao diminuir a velocidade dessa maneira você na realidade aprenderá mais rápido e memorizará mais. Parar a fim de refletir sobre a leitura e fazer uma aplicação pessoal para si mesmo e para sua família nos dias atuais vale mais do que ler grandes quantidades de informação de modo superficial, simplesmente para coletar fatos ou reprovar outros! Deus tem muito a nos dizer e ensinar pessoalmente. Precisamos diminuir a velocidade da nossa leitura a fim de permitir que Cristo verdadeiramente nos guie e seja nosso Professor.
Quero que você saiba que esse estilo não veio para mim de maneira natural. Tive de renunciar velhos hábitos e inclinações, e você também terá que fazer o mesmo. A princípio, quando parava depois de cada parágrafo para me disciplinar a ler mais devagar, minha leitura parecia ineficaz. Para desenvolver um novo hábito é necessário repetição, até que se torne um hábito natural e dominante. Deus, no entanto, instigará nossa mente para pensar de modo diferente. No início, Ele freqüentemente me fazia uma pergunta para me instigar a pensar sobre o assunto de maneira lógica e objetiva. Alguns aspectos da minha personalidade não gostavam desse método, mas eu precisava dessa correção, instrução e experiência. Minha cooperação e esforço são essenciais. Por vezes, é difícil, mas a recompensa da mudança na vida vale a pena.
Para diminuir minha velocidade Deus sugeriu uma variedade de maneiras que me ajudariam a pensar e tornar prático o que lera. Aqui estão algumas delas:
1.       Anote citações importantes que tenham uma aplicação prática para sua vida.
2.       Aprenda a colecionar e classificar essas citações por assunto ou categoria. Tive que me disciplinar a sintetizar e limitar o número de citações. Ao ler e reler as citações anotadas elimine as que são repetitivas e guarde apenas as melhores do tipo “como fazer” sobre um assunto específico. Você pode adquirir uma abordagem equilibrada sobre o assunto específico porque conselhos serão dados sob vários pontos de vista corrigindo tanto excessos como negligências.
3.       O estudo das palavras pode ser útil dependendo da sua personalidade. No meu caso, percebi que muitas vezes me aprofundava tanto em estudos múltiplos de palavras que perdia a visão geral do que estava aprendendo. Se ficasse exclusivamente nesse tipo de estudo, não cresceria em minha vida prática de caminhar e ser transformada com Jesus. Notei que para esse tipo de estudo ser eficaz seria melhor fazê- lo em uma escala reduzida. Você precisará avaliar a si mesmo e buscar a direção de Deus o tempo todo para saber qual método lhe atrapalha e qual é mais eficaz em sua caminhada com Ele.
4.       Recoste-se confortavelmente na cadeira e pergunte ao Senhor: “Que significa isso para mim hoje? Como a aplicação desse texto mudará o modo de me relacionar com meu esposo, meus filhos ou meus vizinhos hoje?” Ao pensar sobre a aplicação prática, Deus então impressiona nossa mente com pensamentos. Dessa maneira Ele é verdadeiramente nosso Professor particular. Como estudantes devemos ser capazes de discernir entre os Espíritos. Em sua primeira epístola João diz: “Provem os Espíritos para ver se eles procedem de Deus.” Se os pensamentos são de Deus, eles nos conduzirão ao arrependimento e ao afastamento de caminhos egoístas e desequilibrados. Serão repletos de esperança “com Deus posso fazer o que Ele está me pedindo”. Eles nos convidarão a morrer para o “eu”, em Cristo Jesus nosso Senhor. Todas as coisas boas vêm de Deus. Ponha à prova todos os pensamentos conforme Isaías 8:20: “À lei e ao testemunho! Se eles não falarem desta maneira, jamais verão a alva.” Satanás também, pode sugerir pensamentos e conceitos. Se os pensamentos trouxerem desesperança, dúvida, desespero e desânimo, isso é uma característica de que é Satanás quem está sugerindo tais pensamentos, por isso devem ser rejeitados e abandonados através de uma conexão com Cristo.
5.       Termine seus momentos de estudo dedicando 10 a 15 minutos para tomar uma decisão. Como minha leitura de hoje vai mudar meu modo de viver? O que farei de maneira diferente hoje? Tome uma resolução com Cristo e Ele o acompanhará para garantir que você faça o que prometeu. Ele é um Salvador amoroso e atencioso. No entanto, Ele não o fará em seu lugar, mas o convidará a uma decisão e uma entrega consciente e contínua a fim de que você cumpra sua promessa. Ele quer que você experimente o que a graça capacitadora pode fazer em sua natureza carnal, como você pode mudar seus hábitos hoje através da cooperação com Ele. É o seu esforço com Cristo que fará a diferença. O cristianismo não deve ser uma religião fraca, sem poder, que lhe deixa sujeito às ciladas e maus hábitos de vida de Satanás. Não, com Deus há poder sobre toda a natureza carnal. Nós simplesmente não o experimentamos de maneira constante, porque não entregamos tudo a Deus, nem cooperamos com Ele como é nosso privilégio.
A terceira disciplina é a parte mais importante. Agora temos que assumir a disciplina de atender a Cristo quando Ele pede nosso coração. Devemos aprender a caminhar com Deus durante o dia todo. Aprender a dizer não ao “eu” e sim a Deus em meio às nossas atividades diárias. Todas essas são disciplinas, não é mesmo? Deus honra até mesmo a nossa entrega tímida. Ele gosta de nos mostrar Seu poder. Que Deus o abençoe ao procurar seguir a Cristo como um cristão deve fazer! Que tal tentar incorporar essas sugestões hoje mesmo? Como minha leitura de hoje vai mudar meu modo de viver?
Estudo por Assunto
Estude assuntos que serão úteis no dia-a-dia. Precisamos estudar os assuntos que enfrentamos e com os quais lutamos todos os dias, em vez de áreas que são confortáveis para nosso gosto, interesse e personalidade, mas que não transformarão nossa vida.
Todos nós precisamos que Deus responda importantes perguntas sobre nossa caminhada pessoal, por exemplo: Como posso me entregar? O que é a conversão? Qual é a ação correta de minha vontade? Posso vencer o pecado e o “eu” com Cristo? Como posso vencer a raiva, o apetite ou as emoções que me dominam? Como pode Deus subjugar minhas emoções, qual é a minha parte e qual é a dEle? Como Deus me livra de pensamentos, palavras, hábitos, práticas ou atos errôneos? Que é fé verdadeira, um sentimento, uma ação ou uma aceitação mental? Que são obras? Qual é o fruto de um cristão unido com Cristo? Irá Deus me salvar em meus pecados ou dos meus pecados? Qual deve ser meu preparo antes de estar apto para proclamar o evangelho ao mundo? Como devo lidar com os que erram? Como o “eu” morre? Onde os tímidos encontram valor próprio como existe em Jesus – onde eu me enquadro? Deus realmente me ama? Posso ser salvo? Onde encontro autocontrole para viver como Deus me pede? Que significa ouvir a voz de Deus? Pode Deus realmente me dirigir e me conduzir de maneira mais íntima do que quando estava com Seus discípulos e caminhou com eles aqui na Terra? Por que primeiramente devemos nos demorar com Cristo? Precisamos saber intelectualmente as respostas a essas questões, porém mais importante ainda é sabê-las de modo experimental.
Um cônjuge pergunta: “Como posso eu ser o cônjuge que Deus me convida a ser?” Como posso manter uma visão objetiva do conflito quando minhas emoções me empurram com tanta força nos velhos caminhos da natureza carnal? Como posso criar para o meu cônjuge uma atmosfera de crescimento em Cristo? Contínua união e comunhão com Cristo são uma realidade?
Pais e mães precisam estudar, avaliar e fazer experimentos com Deus, de como levar seu filho a Cristo para que Ele lhe transforme a disposição, os desejos e hábitos. Onde se encontra o equilíbrio entre justiça e misericórdia no governo paterno? Que é a disciplina do Céu? O que Deus quer dizer ao mencionar que devemos governar nosso lar com retidão? Que faria Jesus em obediência a Deus, se estivesse nesse conflito de vontades neste exato momento? Qual é a primeira obra dos pais? Que é verdadeiro trabalho missionário? Como devemos reconduzir um filho desobediente e rebelde? Onde devemos morar? Como posso suprir todas as necessidades e cumprir todos os deveres de nosso lar? Quão importante é o trabalho da mãe no lar? Que faz o sacerdote do lar?
Uma criança precisa perguntar a Deus: “Senhor, que queres que eu faça?” Que significa ser um membro da equipe no lar? Qual é o meu serviço ou minha função? Como posso me sujeitar? Por que devo orar, estudar, ler e aprender a sentar em silêncio? O que é e o que não é uma amizade apropriada com outros? Qual deve ser minha atitude em relação aos meus pais?
Um jovem precisa ter submissão, união, comunhão e conhecimento da Bíblia para ser guiado em suas necessidades. Precisa saber: Qual é o meu propósito na vida? Que treinamento prático eu preciso? Que carreira devo seguir? Quais são meus talentos e habilidades? Como posso resolver problemas neste mundo tão cheio de mundanismo? Como posso ser cristão e ser bem sucedido em uma profissão praticando a integridade, honestidade e a observância do sábado? Qual deve ser a conduta apropriada com o sexo oposto? O que é apropriado no namoro e casamento? Essas são perguntas importantes para o nosso dia a dia? Um Deus prático torna o conhecimento prático e útil.
Esse tipo de estudo transforma nossa vida. Provê uma direção sólida para nosso momento de estudo. Precisamos desta estrutura. Conforme você lê para compreender os pontos fundamentais, está se preparando para proclamar a mensagem do evangelho ao mundo. Este mundo tem muita necessidade de cristãos, seguidores de Cristo, para ajudar irmãos e irmãs a aprenderem como ser cristãos vivos no lar em todas as circunstâncias. Esse estudo os ensina a vencer o pecado e o egoísmo através de constante clamor a Deus. Também os ensina a se unirem à sabedoria e ao poder divino agora a fim de serem ajudados no lar a educar seus filhos para o Céu e a serem cônjuges em Cristo. Essas são necessidades genuínas do momento.
Quando pessoalmente pudermos levar pessoas a Cristo para encontrarem poder para viver acima da atração da natureza carnal, inclinações e hábitos errôneos da vida por ser essa a nossa experiência real, a mensagem se espalhará como fogo furioso em grama seca. Deus espera que seu exército se submeta ao Seu comando geral e ao Seu poder antes de poder dirigir a finalização da obra. Ele precisa primeiro preparar seu povo individualmente! Precisamos da contínua atração do poder divino em nossa vida para nos conceder diariamente a vitória. Precisamos da experiência de treinar nossos filhos a irem a Cristo e se submeterem a Ele para que eles também possam descobrir o poder do evangelho sobre sua natureza carnal. Desse modo, como de nenhum outro, seremos treinados para finalizar a obra. Precisamos aprender a viver o evangelho em nosso lar de maneira prática antes que qualquer uma de nossas preciosas doutrinas ou nosso trabalho missionário médico seja de algum proveito para salvação, não simplesmente uma obra no mundo. Não podemos dar a mensagem de um Salvador se o Salvador não está atualmente nos salvando! Não podemos dar o que nós mesmos não possuímos. Podemos partilhar conhecimento, um regime alimentar ou estilo de vida mais saudável para alguns que estiverem abertos a isso, mas sem a experiência de Cristo como Aquele que nos livra da raiva, da irritação, do desespero, etc., todo nosso trabalho nunca concluirá a obra. Lucas 4:18: “O Espírito do Senhor é sobre Mim, pois Me ungiu para evangelizar os pobres (transmitir o poder de Deus que me salva do “eu”); … curar os quebrantados de coração, a apregoar liberdade aos cativos… dar vista aos cegos… pôr em liberdade os oprimidos. …” Todos nós precisamos estudar assuntos práticos que transformam a vida e encontrar o equilíbrio e aplicação pessoal em Cristo nosso Salvador.
Oramos para que essas dicas de estudo os ajudem a encontrar um Senhor mais íntimo que solucione problemas em sua vida como Ele tem feito na nossa. “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.” II Timóteo 2:15. Que Deus esteja com você!
                Poder pra Viver.
Traduzido por Vera Michel de Matos. Usado com permissão do projeto Empowered Living Ministries (www.empoweredlivingministries.org).
Procura Apresentar-te a Deus Aprovado (Como Estudar a Bíblia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *