Por Que Estamos Perdendo Nossos Filhos?

Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida.” Tiago 1:5.

Talvez se perguntarmos para qualquer pai ou mãe cristão, o que mais desejam para seus filhos a resposta será: “Que eles sejam salvos”. No entanto, a realidade da maioria hoje em qualquer denominação é que grande parte dos filhos tem se afastado de Deus. O que está errado? Será que essa é uma geração que simplesmente não foi predestinada para a salvação? Ou será que existe algo de errado conosco e com nossos esforços para salva-los?

Algum tempo atrás um passarinho me ensinou uma grande lição sobre isso. Como moramos no sítio, ocasionalmente aparecem ratos nos arredores. Estávamos em uma luta com um rato em nossa varanda. Já havíamos tentando vários tipos de ratoeira sem sucesso, então resolvemos usar aquele tipo de ratoeira com cola. Colocamos uma isca no meio da ratoeira e fomos dormir esperando pegar o rato durante a noite. Na manhã seguinte, no entanto, o que encontramos foi um passarinho em pânico todo colado na ratoeira.

Fiquei muito frustrada com o que tinha provocado e resolvi salvá-lo. O estrago no corpinho dele foi grande, pois a cola era muito forte e todo seu peito e assas estavam grudados devido as suas muitas tentativas de escape.

Depois de muito esforço consegui separá-lo do papel e agora precisava tirar aquela cola de seu corpo. Comecei a cortar a penugem do peito e várias penas das suas asas que estavam muito grudadas. Depois, pensando no que fazer me lembrei que as vezes usávamos óleo de cozinha para tirar a cola da jaca de facas e outros utensílios. Passei óleo nas asas do passarinho, e consegui tirar um pouco da cola, mas não muito.

Eu me lembro de naquele momento ter desejado encontrar um manual de como resolver aquele problema específico, mas sabia que provavelmente não existe. Resolvi então dar uma olhada no Google e descobri que outras pessoas que tinham passado pela mesma experiência tinham passado farinha e esfregado nas asas tirando a cola. O problema é que eu já tinha colocado o óleo, então quando acrescentei a farinha o pobre passarinho ficou todo “empanado”.

Estava cada vez mais frustrada com minhas tentativas, mas finalmente consegui limpá-lo o suficiente e arrumei uma gaiola onde geralmente colocamos pássaros feridos que aparecem em casa. Coloquei comida, água e pensei em deixá-lo lá até que suas penas crescessem e pudesse soltá-lo novamente.

Quando estava para colocá-lo lá dentro, ele escapou das minhas mãos e começou a pular no chão, corri atrás para pegá-lo, e sem pensar puxei o coitadinho pelo rabo, mas a única coisa que peguei foi o rabo e o passarinho continuou pulando, agora sem o rabo. Minha frustração aumentava a cada nova tentativa de salvá-lo. Agora eu tinha um passarinho cotó, ainda meio lambuzado de cola, óleo e farinha.

Finalmente consegui capturá-lo e colocando-o na gaiola e imaginei que agora teria que mantê-lo ali por um bom tempo até que todas as penas do rabo crescessem novamente. Fiquei mais tranquila e fui fazer as tarefas de casa, pois já tinha perdido quase duas horas naquela “brincadeira”.

Algumas horas se passaram e minha filha volta e meia ia na gaiola olhar o passarinho. Numa dessas vezes ela veio correndo gritando e me chamando. Corri lá e o que vi me deixou horrorizada. O pobre do passarinho foi tentar beber água no potinho e como estava sem o rabo perdeu o equilíbrio, caiu na água e morreu afogado.

Fiquei extremamente frustrada e chateada e até chorei por ter causado tanto sofrimento ao coitadinho. Um passarinho completamente saudável morreu uma morte absurda, simplesmente por causa das minhas tentativas atrapalhadas de salvá-lo. Porque não fui direto ao método que o salvaria!

Você deve estar rindo com essa história, assim como a maioria faz quando me ouve contá-la. Essa história, no entanto, é muito triste, pois ela revela que nossos melhores esforços em tentar salvar alguém, podem na verdade estar levando-os ao caminho da perdição.

Como pais, muitas vezes decidimos que vamos fazer o melhor para salvar nossos filhos, então os colocamos na melhor escola, frequentamos a igreja que mais oferece atividades: desbravadores, coral, banda, etc. Adotamos critérios na escolha dos filmes que assistem, nas músicas que ouvem e atividades que participam, baseado no que nossos amigos cristãos estão fazendo. Entramos em vários grupos de WhatsApp sobre educação de filhos e até participamos de seminários sobre família, mas o tempo vai passando e as vezes vemos nossos filhos crescendo e  se distanciando de nós e de Deus. Por quê?

Muitas vezes ficamos tentando fazer o melhor, mas não buscar sabedoria na verdadeira fonte, no “Assim diz o Senhor”. Falhamos em acreditar que o Deus que criou o ser humano também nos deu o manual que nos ensina o caminho do êxito. Falhamos em manter aquela comunhão com Deus que possibilitará que o Seu Espírito nos guie de modo particular. Preferimos nos basear no que outros dizem ou tem a feito, em vez de ouvir Seus ensinamentos personalizados para nós. Como geração pós moderna sentimos que não há necessidade de voltar aos fundamentos da educação de filhos encontrados na Bíblia e nos conselhos inspirados por Deus. Parece que não se aplicam à nossa realidade e consideramos que psicólogos e educadores do Youtube estão bem mais atualizados e falam mais a nossa linguagem, e as vezes até sentimos que eles já devem ter lido os conselhos de Deus, pois falam coisas tão coerentes! No entanto, nós mesmos não queremos “perder tempo” estudando diretamente da fonte.

Deus deixou um manual escrito para nós com detalhes de como podemos educar melhor nossos filhos para o Seu Reino. Além da Sua Palavra, temos muitos conselhos preciosos com detalhes específicos de como educar nossos filhos em cada fase da vida. Mas será que temos tirado proveito disso?

As vezes quando palestro para pais pergunto quantos já leram livros como Educação e Orientação da Criança e meu coração fica apertado porque vejo pouquíssimas mãos se levantarem. Me preocupa ver pais tão ansiosos por seguir as melhores metodologias educacionais que o mundo oferece, mas não tão ansiosos por estudar o plano educacional de Deus. Me preocupa ver pais tão ocupados participando de inúmeros grupos no WhatsApp sobre educação de filhos, no entanto sem tempo para sequer dar atenção aos filhos. Todas essas atividades podem ser boas coisas, mas elas só somam à nossa experiência quando primeiro buscamos a Deus e estamos firmados em Sua Palavra. Ao tentarmos salvar nossos filhos sem antes conhecer o plano de Deus nossas tentativas poderão ser tão frustradas como as minhas tentativas de salvar o passarinho.

Deus deseja que busquemos a Ele individualmente. Que no dia a dia, estejamos tão perto dEle que possamos sentir que Ele está ao nosso lado nos fortalecendo e nos mostrando o que fazer, porque neste processo de buscá-Lo para salvar nossos filhos nós estaremos desenvolvendo a nossa própria salvação (Fl 2:12).

E como podemos fazer isto? Em primeiro lugar, buscando conhecimento em Sua palavra sobre como educar nossos filhos, esta deve ser a base. Precisamos todos os dias nos fortalecer como pais, seja através de uma leitura, devocional, ou algo específico para algum problema que estamos lidando. Depois, durante o dia precisamos pedir sabedoria para por em prática o que aprendemos. Mas apenas isto não garantirá o êxito total, porque o inimigo está constantemente ao nosso redor como um leão buscando maneiras de atacar nossos filhos. Então, cada vez que dificuldades surgirem, precisamos buscar a Deus, e deixá-Lo ser nosso “socorro bem presente na angústia” (Sl 46:1). E quando as coisas parecerem estar fora do nosso controle, precisamos interceder por nossos filhos, e fazer tudo que está ao nosso alcance para salvá-los, mesmo que forem adultos e não estiverem mais sob nosso teto.

Tenho tido a alegria de ver pais que as vezes vivem com simplicidade, com pouca escolarização, mas buscam praticar os conselhos de Deus, e o resultado é que Ele os tem abençoado e os filhos crescem decididos e fortes espiritualmente. Também tenho visto pais, que mesmo quando mais idosos se voltam aos princípios deixados por Deus e tem alcançado vitórias não apenas com os filhos já adultos mas com os netos através de sua influência e persistente trabalho e oração.

Os planos de Deus para a educação dos nossos filhos não são ultrapassados, são os melhores e os únicos que podem levá-los à salvação. Precisamos conhecê-los individualmente e estudá-los, precisamos vivê-los em nosso lar e ao fazermos isso estaremos sendo um testemunho vivo.

O chamado do Projeto Restaure tem sido ajudar famílias a passar por este processo para que possam educar os filhos com a certeza de que terão êxito. Por isso criamos o Curso Princípios da Verdadeira Educação, onde através das vídeo aulas, pais e educadores podem ter uma visão geral do plano educacional de Deus, e através das dicas de leitura e outros materiais complementarem podem estudar e entender os preciosos princípios deixados por Deus.

O mundo está cada vez mais cruel e os ataques do inimigos cada vez mais violentes. É hora de nos voltarmos ao “Assim diz o Senhor” e de termos certeza que estamos firmados na Palavra de Deus.

One thought on “Por Que Estamos Perdendo Nossos Filhos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *