Algum tempo atrás recebi o seguinte texto de uma amiga. Ao ler o texto senti que meus olhos foram abertos de uma maneira especial e passei a ter uma visão mais ampla do que significa perdoar. Perdoar significa não apenas perdoar para manter a consciência limpa e ficar em paz com Deus, mas perdoar significa querer tanto o bem da outra pessoa (isto é, amá-la tanto) que mesmo que ela não expresse o desejo de ser perdoada você a perdoa para redimi-la e levá-la de volta a Deus. Profundo não é mesmo! Espero que lhe faça tão bem quanto fez para mim:

“Deus tem um plano para salvar cada um de nós. Neste plano o contato com amigos e familiares que não buscam o mesmo estilo de vida que adotamos, faz-nos compreender melhor nossas deficiências, reconhecer os frutos, aprender a respeitar a questão da consciência individual e também a grandeza do amor de Deus por nós.
Em um conflito entre amigos e familiares, muitas vezes queremos dizer umas verdades e às vezes falamos mesmo! Queremos repreender nosso irmão por alguma atitude (e às vezes isso é necessário sem dúvida), mas antes temos três pontos relevantes a considerar:
1. Motivação: Leia Romanos 5:6-8. “Ainda quando pecadores… Deus demonstrou o seu amor por nós”. Qual é sua motivação? A motivação de Cristo é o amor. Se sua motivação é qualquer coisa que não seja o amor, falhará. Se alguma pessoa que me deixa nervoso (a), será que a sua motivação é se livrar do irmão? Dizer o que ele (a) fez de errado? A motivação é coloca-lo no seu lugar? Ou será que é se colocar no lugar dele?
2. Objetivo: permitir-se ser um instrumento de Deus para redimir/salvar. “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve em Cristo”. Filipenses 2:5-8
3. O método: humildade. Esse foi o Seu método, o método de Cristo. “Se teu irmão pecar contra ti, vai arguí-lo entre ti e ele só. Se ele te ouvir, ganhaste a teu irmão.” Mateus 18:15
Se você está ofendido, Cristo entende que em todos os conflitos ambas as pessoas estão ofendidas. Então vira um círculo. Eu não fiz nada de errado, então ele tem que vir aqui e falar comigo, é assim que amizades acabam, é assim que casamentos acabam, mas se você está ofendido sua responsabilidade é buscá-lo. Se eu estou ofendido, então conto para meu marido, para o pastor, para o ancião… e todo mundo sabe da questão. Mas a Bíblia não dá permissão para falar nem com minha esposa (o) sobre o assunto. Eu falo com Deus e vou em particular conversar com a pessoa.
A motivação é salvá-lo, redimi-lo. Se ele é tão mau como eu digo que ele é: eu preciso ajudar esse irmão. Meu propósito não é explodir, não é falar poucas e boas, não é ficar nervoso, mas é salvá-lo!
Se aprendermos este maravilhoso princípio, os que são solteiros terão um maravilhoso relacionamento com as pessoas e os que são casados poderão ter uma transformação em seus casamentos.
Se eu não buscar o Espírito Santo, ao falar com a pessoa em questão, tentarei mudá-lo e modificá-lo e esse não é meu trabalho, mas do Espírito Santo. Eu preciso orar para que o Espírito Santo ajude para que minhas palavras sejam uma tentativa de redimi-lo.
As pessoas de fora não nos ferem muito, isso acontece mais com as pessoas com quem nos importamos e é assim que casamentos acabam, que problemas entram na igreja, e é por isso que o nosso tema se refere justamente aos amigos e familiares.
Quando meu amigo/irmão diz que eu sou isso ou aquilo, eu não me ofendo e sigo os métodos que Cristo delineou. Falo com ele em humildade, eu estou ali para redimi-lo, entrego minha frustração a Deus. Não falo com ninguém, mas vou a alguém consagrado, alguém que eu sei que não possui nada contra a pessoa que me ofendeu, alguém que tenha amor, que saiba do objetivo de redimir e então não preciso me ofender, não preciso ficar nervoso, frustrado.
A Bíblia traz um exemplo incrível: Judas. Quando ele entregou Jesus, Jesus chamou-lhe amigo. Por quê? Jesus sabia por que ele veio e sabia que ele estava perdido e Jesus ainda tentava salvá-lo. O amor de Deus é tão profundo, que não importa quantas vezes O ferimos. Como carecemos da graça de Cristo!
São necessárias duas pessoas pra haver uma briga, só quando amadurecemos compreendemos isso mais claramente. Indiferença é pior que ódio. Num mundo em que se torna tão fácil simplesmente “deletar” a pessoa do nosso círculo social, cortar relações se torna a coisa mais corriqueira e não nos importamos mais. Se uma pessoa leva um tiro do seu lado, você fala “Bem, todos temos que morrer um dia…” Nosso Salvador viria para morrer por apenas um pecador que se arrepende… viria apenas por você ou por mim…. que amor é esse?
Eu não sinto vontade de perdoar a pessoa que me ofendeu, mas eu farei isso pela fé, “Senhor dá-me um novo coração”. Quando você permite que o Espírito Santo tome controle de sua vida, a sua fala se modifica, mesmo estando pronto para dizer “Eu te perdoo pelo que você me fez (ou disse)”, acabamos dizendo “me desculpe pela forma como lhe tratei”.
Então, se você tem que resolver uma situação com alguém, não siga seu próprio sentimento.
Revisando:
Motivação correta: amor.
Objetivo correto: salvar, redimir.
Método correto: humildade.
Se estiver ofendido, vá até a pessoa, e vá sozinho.
Não fale com a namorada, esposa ou qualquer pessoa, principalmente se tiver algo contra a pessoa em questão também.
Suba a escada! O propósito é redimir!
Se ele lhe ouvir, você ganhou seu irmão.
Ore por essa pessoa.
Deus eterno, nós te agradecemos por que quando ainda pecadores o Senhor nos amou, tem feito de tudo para nos salvar, tem feito tudo para nos redimir, dá-nos humildade para suportar a dor. O Senhor é maior que a dor e pode fazer tudo para nos salvar. Amém.”

Texto tirado de um sermão de Jonathan Zita

Perdoar para Redimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *