“A eminente teólogo perguntou-se certa vez que idade devia ter uma criança antes que houvesse razoável esperança de se tornar cristã. “A idade nada tem com isso” foi a resposta. “O amor a Jesus, a confiança, o descanso, a segurança, são todas qualidades que estão de acordo com a natureza da criança. Logo que uma criança pode amar a mãe e nela confiar, então pode amar a Jesus e nEle confiar, como sendo Amigo de sua mãe. Jesus será seu amigo, amado e honrado”. Orientação da Criança, p. 486.
As palavras “confiança”, “descanso” e “segurança” são palavras cujo significado é familiar à maioria dos bebês e criancinhas, ou pelo menos deveria ser. São sentimentos que sentem quando estão perto da mamãe ou de seus cuidadores. Esses três sentimentos englobam tudo que um bebê precisa para ser feliz nos primeiros meses de vida e é a partir dessas necessidades supridas por seus pais ou cuidadores que ele será direcionado a ter esses sentimentos por Jesus.
“Devem os pais e mães ensinar ao bebê, à criança e ao jovem o amor de Jesus. Sejam as primeiras palavras balbuciadas pelo bebê acerca de Cristo.” OC, p. 487.
A maioria das famílias que buscam um relacionamento íntimo com Deus tem o hábito de reunir-se e fazer o culto familiar. Se você já tem este hábito provavelmente já inclui seu bebê neste momento. Se por acaso ainda não tem, procure implantá-lo em sua família o mais rápido possível, pois será uma bênção para todos.
O culto familiar é uma prática que além de unir os membros da famílias, une a família com Deus e a coloca numa posição onde receberá muitas bênçãos de Deus, e ao mesmo tempo numa área de proteção contra as tentações do inimigo. É no culto familiar que a maioria dos bebês ouvem o nome de Jesus pela primeira vez. Através de pequenos cânticos, histórias bíblicas ilustradas, ele vai formando em sua mente as primeiras impressõezinhas de Deus, mesmo que no momento pareça que não esteja entendendo nada.
O hábito da oração também deve ser iniciado logo nos primeiros momentos de vida. Orações regulares ao acordar e ao se deitar, nos horários de refeições e cultos, e também em momentos de necessidades, como durante uma crise de cólica, ou em algum outro momento de descontentamento para o bebê.
“Um dos primeiros sons que lhes deve atrair a atenção é o nome de Jesus, e em seus mais tenros anos devem ser levados ao banquinho de oração. Sua mente deve estar cheia de histórias da vida do Senhor e sua imaginação deve ser encorajada a pintar as glórias do mundo vindouro.” OC, p. 488.
A sugestão de ter um banquinho ou travesseirinho de oração para a criança é muito interessante, pois estabelece um local especial onde aos poucos ela vai se acostumar a buscar a Deus todas as vezes que precisar. Algumas mães que têm essa prática testemunham de situações quando os filhos ainda pequenos se ajoelharam em locais públicos sem a mínima “vergonha” ou preocupação se os outros estavam olhando para pedir a ajuda de Deus por uma situação específica.
Outro hábito que a maioria das pessoas não pensa que se aplica a bebês é a devoção pessoal. Será que existe uma idade apropriada para introduzir este hábito na vida da criança? Talvez para alguns o culto familiar em algumas circunstâncias seria o suficiente para ajudar a criança a começar o dia com Deus, mas é importante também que a criança aprenda a desenvolver seu momento individual com Deus. Se este é o objetivo quando ela crescer, pequenas sementes podem ser plantadas no coração da criança desde cedo.
Quando minha primeira filha tinha uns seis meses, eu me lembro que tive dificuldade para conciliar minha devoção pessoal com o horário que ela acordava e precisava da minha atenção. Por algum tempo lutei com isso e pedi a ajuda de Deus e não me lembro bem como, mas um dia fui impressionada a colocar uma música suave no quartinho dela e colocar alguns livrinhos no berço para mantê-la entretida até que eu terminasse meu devocional e pudesse atendê-la. E sabe que funcionou! Aqueles foram os primeiros devocionaizinhos que ela fez. Aos poucos fui explicando que aquele era o momento da minha devoção pessoal com Deus e que ela também estava fazendo o dela, e foi se tornando um hábito natural, além de ajudá-la a começar o dia em paz e tranquilidade.
A devoção pessoal quando eles ainda são pequenos é muito importante para estabelecer o hábito que perdurará ao crescerem. Além disso, sabemos que quanto mais nova a criança, mais moldável é o seu caráter. Como diz a inspiração: “Na infância, o espírito é facilmente impressionado e amoldado, e é então que os meninos e meninas devem ser ensinados a amar e honrar a Deus.” OC, p. 486. Iniciar o dia com Deus já com o coraçãozinho moldado pelo Espírito Santo ajudará muito a pequena criança a vencer as dificuldades do dia a dia.
Conforme elas forem crescendo existem muitas maneiras de ajudá-las a desenvolver a comunhão pessoal. Conheça algumas ideias interessantes aqui.
Se as crianças tiverem a bênção de desenvolver esse hábitos quando ainda bem pequenas, não é de se admirar que ainda pequenas se tornarão pequenos missionários para Jesus, e de forma natural terão o desejo de compartilhar o amor de Deus aos outros através do testemunho.
“Deus quer que toda criança de tenra idade seja Seu filho, adotado em Sua família. Ainda que de pouca idade, podem os jovens ser membros da família da fé, e ter experiência preciosíssima. Podem ter coração terno e pronto a receber impressões que sejam duradouras. Podem dilatar o coração na confiança e amor a Jesus, e viver para o Salvador. Cristo fará deles pequenos missionários.” OC. p. 486.
Quando minha filha tinha uns quatro anos de idade, certo dia na igreja entregaram uma carteirinha do Ministério da Mulher para colocar folhetos e levar na bolsa para distribuir. Ela entendeu e gostou muito da ideia e quase todas as vezes que saíamos de casa ela pegava a carteirinha e levava folhetos para entregar para as pessoas na rua, nos caixas de supermercados e nos pedágios. Confesso, que as vezes nós pais, tínhamos certo receio, mas ela sem receio algum e de forma bem natural entregava mensagens de conforto à pessoas.
Talvez esses conceitos sejam novidade para você, principalmente se não cresceu em um lar cristão e ainda não desenvolveu esses hábitos em sua vida. Deus pode lhe dar forças para desenvolver novos hábitos ao ajudar seus pequeninos a desenvolverem a comunhão com Deus.
O Projeto Restaure tem prazer em ajudar famílias a educar seus filhos espiritualmente, por isso tem desenvolvido materiais que podem ser úteis nessa tarefa como a série de CDs “Bom dia, Jesus”. Uma série de devocionais infantis em áudio. Este mês estamos lançando o terceiro volume da série. Além desta série outros materiais como o CD de hinos para bebês e o CD de versos bíblicos cantados, são excelentes ferramentas que podem ser utilizadas com este propósito.

Que Deus o ajude nessa missão tão importante!

 

Leia também Idéias para Devoção Pessoal dos Seus Filhos

Guiando os Bebês a Jesus

3 ideias sobre “Guiando os Bebês a Jesus

  • 4 de agosto de 2018 em 07:11
    Permalink

    Que delícia de conteúdo ! Deus seja louvado !

    Resposta
  • 15 de setembro de 2017 em 21:32
    Permalink

    Nossa Ruth…. Que texto inspirador!!! Uma bênção!

    Resposta
    • 18 de setembro de 2017 em 10:06
      Permalink

      Deus é maravilho, Wania, e nos deixou orientações para tudo na vida. Louvado seja Deus!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *