Como Lidar com Ciúmes de Irmão

Quando a minha filha mais nova nasceu nos preocupamos um pouco com a questão do ciúmes entre as irmãs. Na época alguém me deu a ideia de trazer junto do hospital com a bebê um presente para a mais velha, como um presente da irmãzinha. Minha filha gostou do presente, mas na verdade ela gostou mais ainda de ter uma bebê de verdade para ajudar a cuidar. Existem casos, no entanto, que quando nasce um novo bebê na família o irmão mais velho ficar com ciúme e pode até se tornar agressivo. O que fazer neste caso? Como lidar de forma positiva sem se desesperar?
Recentemente na Comunidade de Pais do Projeto Restaure trocamos ideias sobre este problema e aqui vão algumas dicas preciosas e práticas oferecidas pela educadora Silvia Martins às mães que estão lidando com esta questão.
Brincar de mamãe – Se houver tentativa de agressão física ao bebê, dê à criança uma boneca especial para ela criança brincar. Uma boneca para ser a filhinha dela, para dar banho, trocar a fralda, pôr para dormir e etc, assim como a mamãe faz. As crianças vivem e revivem as experiências diárias delas nas brincadeiras. Minha filha era mais desafiadora e de quando em quando precisava de chinelada. Mais tarde ela estava lá dando chinelada na boneca dela. Dessa forma eles expressam o que vai lá dentro. Se ela quiser bater na boneca que chora é muito mais aceitável que no bebê.
Prover atividade paralela – Outra coisa é envolvê-la no momento mesmo que seja numa atividade paralela. Arrumar algo interessante para ela fazer enquanto você está lidando com o bebê. Por exemplo, a hora do banho dele ela pode fazer bolinha de sabão ou encher a pia do banheiro e brincar com peixinhos. Ou então essa pode ser a hora que você conta historinhas de você quando era pequena ou de algum bichinho que tinha.
Dessa forma você está lidando com o bebê, mas ainda dando atenção a ela. Não precisa ser durante todas as atividades que faz com ele, mas algumas que envolvam vocês três e ela sinta que quando o bebê está por perto, você ainda gosta dela e dá atenção a ela.
Rever os tempos de bebê – Trazer fotos de quando ela era bebê para ir vendo. Você pode ir comentando como ela também chorava e precisava de tanto cuidado. Mas como agora ela está grande e consegue andar, correr, pular. “Coitadinho do bebê que não consegue fazer nada disso, né? Se ele acorda, não pode sair do berço e nem chamar alguém. O único jeito que tem é chorar. Que bom que você já passou dessa fase, né?”
Podem assistir vídeos dela pequena na hora da mamada ou da primeira vez que viu o irmãozinho, lembrar de histórias interessantes, ver como se sujava toda para comer e etc. Eles gostam muito de assistir esses vídeos. É difícil para eles imaginarem que já foram bebês. Mas assim podem se simpatizar mais com o irmãozinho.
Dar atenção exclusiva – Quando o papai chega do trabalho, ele pode cuidar do bebê por um tempo (ou a vovó durante o dia) para que vocês tenham um tempinho juntas.
Enquanto faz as tarefas da casa, com ou sem o bebê, é bom envolvê-la, se ela quiser. ‘Lavar a louça’, tirar o pó, varrer com a vassourinha dela, etc. Pode aumentar o tempo de fazer o trabalho, mas vai diminuir muita dor de cabeça na relação com ela e dela com o irmãozinho.
Ensinar com histórias bíblicas – Contar histórias bíblicas de irmãozinhos como Miriã e Arão cuidando do pequeno Moisés, ou dos irmãos de José que o machucaram por ciúmes, ou de Caim e Abel, podem ajudá-la a entender e pensar. Vocês podem nessas horas conversar sobre o que os irmãos estavam sentindo e se o que fizeram foi certo ou errado, como poderiam ter agido diferente.
Esaú tinha ciúmes de Jacó e trouxe muita tristeza para os dois e para os pais. No fim eles ficaram de bem. Deus até falou a Esaú para ser ‘bonzinho’ e não machucar o Jacó, que era o irmão mais novo.
Parábolas do servo que tratou mal os seus conservou quando o patrão não estava por perto, ou do pastorzinho que deixou as outras ovelhinhas por um pouco para ir atrás da que estava precisando dele, ou de como o pastorzinho cuidando das ovelhas tinha que carregar a pequenininha no colo, são todas boas histórias para trabalhar amor ao próximo e o cuidado maior que alguns precisam por não poderem cuidar de si mesmos. A coleção ‘Meus Amigos da Bíblia’ é muito boa neste sentido. Tem até uma ilustração de Jesus com um pequenino dormindo em seu colo enquanto os irmãos maiores estão do lado.
Dessa forma a Bíblia e suas histórias vão ficando reais para ela com lições que ela também precisa aprender. Jesus nos ama e nós somos para amar e ajudar os outros. Na parábola do bom samaritano vemos bem isso, os ladrões ‘não eram bondosos nem para os de perto, da família, os outros não machucavam mas não ajudavam e o que nem era família, foi bondoso e ajudou. Jesus ficou muito contente com ele.
Ter seu tempo a sós com Deus – A fase com um recém nascido no lar pode ser uma fase muito difícil para as mães. O bebê chora a noite, você não dorme direito e ainda com todo o trabalho da casa a ser feito. Por isso mesmo tire tempo para orar e ter tempo com Deus. Parece impossível mas você vai ver o milagre da multiplicação se o fizer. Multiplicação do tempo, da paciência, do amor e de ideias para resolver os problemas. Vai ver também o milagre da redução, redução do estresse e de conflitos.
E lembre-se que “Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.” (2 Coríntios 10:13).

Silvia Martins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *