Trabalho Útil e Indústria para os Pequenos (Parte 2)

 Ensinando Costura e Confecção

Há dois enquanto participávamos de uma campanha de Natal, fomos padrinhos de uma menina de 12 anos. Cada padrinho deveria comprar uma roupa nova, sapatos e um brinquedo. Ao saírmos com as meninas (na época elas tinham 8-6 e 2 anos respetivamente!) para comprar o vestido, me deparei com uma triste realidade: A MODA adolescente! Fiquei chocada com a falta de opções para as meninas. Quando tinha uma estampa bonita, havia uma abertura na parte de trás. Se a peça estava toda completa, era cheia de caveiras e dizeres sensuais, passei três horas para achar um vestido descente e me perguntei, que farei quando minhas filhas chegarem nessa idade? Entrei em pânico! O tempo passou e elas estão agora com 10/8/4 anos, e crescendo rapidamente.

Estudando sobre o santuário de Deus encontramos esta citação sobre as vestes sacerdotais: “No serviço do tabernáculo, Deus especificou cada detalhe no tocante ao vestuário dos que deviam oficiar perante Ele. Com isto nos ensinou que tem Suas preferências também quanto à roupa dos que O servem. Prescrições minuciosas foram por Ele dadas em relação à roupa de Arão, por ser esta simbólica. Do mesmo modo as roupas os seguidores de Cristo devem ser simbólicos, pois que lhes compete representar a Cristo em tudo. O nosso exterior deve caracterizar-se em todos os aspectos pelo asseio, modéstia e pureza.  

Então nosso estudo incluiu: os materiais usados na elaboração das peças, fomos visitar lojas de tecidos para comprovar a qualidade de cada material. Linho, algodão, lã são materiais resistentes, duráveis, com caraterísticas perfeitas para evitar o excesso de sudoração e permitir adequada circulação do sangue. 

Como naquele momento não tínhamos máquina de costura, fomos na casa de uma irmã da igreja que amavelmente nos deu as primeiras aulas. Ela nos ensinou a copiar moldes, alinhavar, pregar botão e fazer a casinha do botão também, nos mostrou algumas peças que ela tinha costurado e deu retalhos para as meninas iniciarem algumas peças à mão.

Fizeram travesseiros para viajar no avião, bolsinhas para à escola sabatina e nos aventuramos às primeiras saias. Há seis meses ganhamos a máquina de costura e iniciamos algumas saias mais elaboradas. Não ficaram perfeitas, mas elas tentavam e desmanchávamos MUITAS vezes para acertar novamente e corrigir os erros.

Com o tempo, começamos a vendê-las e a indústria rendeu alguns lucros, e acima de tudo fiquei feliz porque elas já visualizam confeccionar suas próprias roupas. Uma preocupação a menos para os anos porvir. Alguns conselhos sobre este tipo de indústria:

No preparo do guarda-roupa do nenê, deve ter-se em vista a conveniência, o conforto e a saúde, de preferência à moda e ao desejo de causar admiração. A mãe não deve desperdiçar tempo em bordados ou trabalhos de fantasias, para embelezar as pequeninas vestimentas, sobrecarregando-se assim de trabalho desnecessário, com detrimento de sua saúde e da do pequenino ser.”Lar Adventista, 262.

O treinamento manual merece muito mais atenção do que tem recebido. Devem-se estabelecer escolas que, em acréscimo à mais elevada cultura intelectual e moral, provejam as melhores possibilidades para o desenvolvimento físico e treinamento industrial. Deve-se ministrar instrução em agricultura, manufaturas, cobrindo o maior número possível dos ofícios considerados mais úteis, bem como em economia doméstica, arte culinária saudável, costura, confecção de roupas saudáveis, tratamentos de doentes, e coisas correlatas.” Educação, pág. 218.

Uma mulher que tenha sido ensinada a cuidar de si mesma está também capacitada a cuidar de outros. Jamais será ela um traste na família ou na sociedade. Quando a sorte mudar, haverá para ela um lugar onde ela possa ganhar a vida honestamente e assistir os que dela dependem. A mulher deve ser instruída em alguns misteres que lhe permitam ganhar a subsistência se necessário. Sobrelevando outras honrosas ocupações, toda jovem devia aprender atividades domésticas, seja cozinhar, arrumar ou costurar. Deve ela conhecer tudo quanto seja mister para uma dona-de-casa, seja sua família rica ou pobre. Então, se sobrevier a adversidade, ela está preparada para qualquer emergência; ela é, de certo modo, senhora das circunstâncias.” Health Reformer, dezembro de 1887.

As mães devem levar as filhas consigo para a cozinha e dar-lhes completa instrução sobre a arte culinária. Também devem instruí-las na arte da costura. Devem ensinar-lhes a cortar roupas economicamente e costurá-las com esmero. Algumas mães preferem elas mesmas fazer tudo isso, a terem o trabalho de ensinar com paciência suas filhas inexperientes. Mas, assim fazendo, negligenciam os ramos essenciais da educação e cometem um grande mal contra as filhas, pois, na vida futura, ficarão embaraçadas devido à falta de conhecimento dessas coisas.” Appeal to Mothers, pág. 15.

Trabalho Útil e Indústria para os Pequenos (Parte 1)

Desde que chegamos ao nordeste do Brasil, tenho sido confrontada com uma realidade muito triste. As pessoas que são sempre ajudadas e não são ensinadas a trabalhar, têm uma grande probabilidade de viver eternamente na miséria.

No livro mensagens aos jovens pág. 211 temos uma frase muito dura, mas bem real: “É vil preguiça o que faz com que criaturas humanas olhem com desprezo os simples deveres diários da vida.” E quando você não estimula o trabalho útil começando por seu próprio lar, a preguiça tem algumas consequências terríveis:

1) Consumismo, mas não produtividade

2) Tendências para o mal

3) Egoísmo

4) Menos vontade de fazer parte da obra de Deus

5) Problemas de saúde

6) Intemperança

Qual seria o primeiro passo para obter vitória sobre a preguiça?

A Vontade Unida + Força Divina

Podereis tornar-vos homens de responsabilidade e influência se, pelo poder de vossa vontade, unido à força divina, vos empenhardes fervorosamente no trabalho. Exercitai as faculdades mentais, e em caso algum negligencieis as físicas. Não deixeis que a preguiça intelectual feche vossa vereda para maior conhecimento. Aprendei a refletir, assim como a estudar, a fim de que vossa mente se expanda, fortaleça e desenvolva… A mente cultivada é a medida do homem. Vossa educação deve continuar por toda a vossa vida; cada dia deveis estar aprendendo e pondo em uso prático o conhecimento adquirido.” (Testemunhos Seletos, vol. 1, pág. 581).

Para quem nos conhece sabe que somos uma família musical, então todas as músicas bíblicas eram minhas aliadas para guardar brinquedos e sapatos com as gêmeas. Quando cresceram um pouco mais e a terceira filha nasceu, elas aprenderam a comer sozinhas e arrumar a cama (a história do menino Samuel que servia ao Senhor me ajudou!). Ao ensinar uma nova tarefa, nas duas primeiras semanas fazíamos brincadeiras enquanto aprendiamos a atividade, e depois elas iam tomando gosto e fazendo sozinhas.

Com quase quatro anos de idade elas nos pediram uma bicicleta. Na verdade, duas! Com muita alegria expliquei que era um brinquedo caro e que precisaríamos juntar bastante dinheiro para poder comprar esse tipo de presente. Assim decidimos vender pães, panetones e patês para ajuntar dinheiro. Foram mais de 7 meses saindo três vezes por semana para oferecer os produtos que elas ajudavam a colocar no liquidificador e depois nos vidrinhos que fechávamos com um adesivo especial do Nosso Amiguinho.

Essa foi a primeira experiencia delas com trabalho útil e indústria, no final de cada venda elas saíam sorrindo, e algumas vezes chorando porque não tínhamos conseguido vender tudo. O resultado, no entanto foi maravilhoso: Deram ofertas na classe do rol, fruto do trabalho delas. Aprenderam, pela primeira vez, a dizimar e, no aniversário de quatro anos elas obtiveram as bicicletas. Essas bicicletas ainda nos acompanham depois de quatro mudanças… Não querem vendêlas, pois, serão pintadas e colocadas como parte do jardim em nossa escola missionária. Essas bicicletas tem um valor muito especial.

A primeira indústria que iniciamos aqui em casa foi a panificação. Essa foi uma das primeiras atividades que as crianças realizaram para obter a bicicleta, e elas nunca esqueceram. O tempo passou, a bebê cresceu e ainda não tinha sua própria bicicleta, e aí as gêmeas em uníssono falaram para mamãe: Vamos fazer pães e patês! Nessa época estávamos morando no apartamento de minha sogra, onde havia aproximadamente 30 vizinhos.

Fomos na loja para ver o preço e elas fizeram as contas de quantos pães precisariam vender: 400 ao todo! Paulinha se desanimou na hora, mas o que ela não sabia é que a paciência e perseverança faziam parte do pacote.

Escrevíamos versos bíblicos para colocar com os pães, pois acredito que toda indústria deve levar a Palavra de Deus também. Preparávamos 10 pães toda quinta-feira, e de propósito deixávamos para assar eles na hora que o pessoal estava chegando do serviço (estratégias de marketing das grandes cadeias de restaurantes: alcançar pelo cheiro!). Depois íamos de porta em porta dando degustação e oferecendo nosso produto, mais do que vender todos os pães tivemos chance de conhecer nossos vizinhos e a oportunidade de falarmos de Deus.

Nossos pedidos foram aumentando para 30 pães por semana, pois o pessoal da igreja também queria ajudar. Nessa história toda fizemos várias aulas de culinária com as irmãs e visitas da IASD Central de João Pessoa e Bessa, as maiores igrejas na capital, fomos convidados para fazer uma semana de saúde na igreja central, com direito a curso de culinária e no final da história conseguimos as duas rodas!

No trabalho útil com as crianças devemos estar por perto o que significa que muitas atividades não serão realizadas, mas as poucas que serão feitas serão realizadas com alegria.

Alguns conselhos inspirados

1) “Enquanto o último sofredor não foi socorrido, Jesus não cessou Seu trabalho. (Ele estava junto).” (Ciência do Bom Viver, p. 29).

2) “Deus pode usar cada pessoa exatamente na proporção em que pode introduzir lhe Seu Espírito no templo da alma. O trabalho que Ele aceita é aquele que lhe reflete a imagem.” (Ciência do Bom Viver, p. 37).

3) “Todos quantos se acham sob as instruções de Deus precisam da hora tranquila para comunhão com o próprio coração, com a natureza e com Deus… Devemos, individualmente, ouvi-Lo falar ao coração. Quando todas as outras vozes silenciam e, em sossego, esperamos diante dEle, o silêncio da alma torna mais distinta a voz de Deus. Ele nos manda: “Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus.” (Salmos 46:10). Este é o preparo eficaz para todo trabalho feito para o Senhor. Entre o vaivém da multidão e a tensão das intensas atividades da vida, aquele que é assim refrigerado será circundado de uma atmosfera de luz e de paz. (Serviço Cristão, p. 190). Se a criança não está disposta leve ela para um lugar calmo onde Jesus possa falar com ela.

4) “Lembrai-vos, em todo o vosso trabalho, que vos achais ligados a Cristo, sendo uma parte do grande plano de redenção. O amor de Cristo, numa corrente que cura e vivifica, deve fluir de vossa vida… De pouca utilidade é procurar reformar outros atacando o que podemos considerar maus hábitos. Tais esforços dão muitas vezes em resultado mais dano que bem.” (Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 459).

Carolina Barrera

Foto: Freepik.com

A Verdadeira Educação é um Preparo Missionário

 

A verdadeira educação é um preparo missionário. Todo filho e filha de Deus é chamado a ser missionário; somos chamados ao serviço de Deus e de nossos semelhantes; e habilitar-nos para essa obra deve ser o objetivo de nossa educação. Preparar Para o Serviço Esse objetivo deve ser conservado constantemente em vista pelos pais e mestres cristãos. Não sabemos em que atividade nossos filhos irão servir. Poderão passar a vida no círculo do lar; podem-se empenhar nas carreiras comuns da vida, ou ir, como ensinadores do evangelho, para terras pagãs; todos serão, entretanto, semelhantemente chamados a ser missionários de Deus, ministros da misericórdia ao mundo.

As crianças e os jovens, com seus talentos novos, sua energia e ânimo, suas vivas suscetibilidades, são amados por Deus, e Ele os deseja pôr em harmonia com as instrumentalidades divinas. Têm de obter educação que os auxilie a pôr-se ao lado de Cristo em desinteressado serviço. De todos os Seus filhos até ao fim do tempo, da mesma maneira que de Seus primeiros discípulos, Cristo disse: “Assim como Tu Me enviaste ao mundo, também Eu os enviei ao mundo” (João 17:18), para serem representantes de Deus, para revelarem Seu Espírito, manifestarem Seu caráter, fazerem Sua obra.

Nossos filhos acham-se, por assim dizer, na encruzilhada dos caminhos. De todos os lados, os incitamentos do mundo ao interesse e à condescendência consigo mesmos atraem-nos da vereda estabelecida para os remidos do Senhor. O ser sua vida uma bênção ou uma maldição, depende da escolha que fizerem. Transbordando de energia, ansiosos de provar suas aptidões ainda não experimentadas, precisam dar vazão a sua exuberância de vida. Eles serão ativos, ou para o bem, ou para o mal. A Palavra de Deus não reprime a atividade, mas guia-a retamente. Deus não pede aos jovens que tenham menos aspirações. Os elementos de caráter que tornam o homem verdadeiramente bemsucedido e honrado entre os homens — o irreprimível desejo de algum bem maior, a indomável vontade e tenaz aplicação, a perseverança incansável — não devem ser desanimados. Pela graça de Deus, devem ser dirigidos para a consecução de objetivos tão mais elevados que meros interesses egoístas e mundanos, quanto os céus são mais altos do que a terra. Cumpre-nos a nós, como pais e como cristãos, imprimir a nossos filhos direção devida.

Devem eles ser cuidadosa, sábia e ternamente guiados às veredas do serviço cristão. Temos para com Deus o solene compromisso de criar nossos filhos para Sua obra. Rodeá-los de influências que os induzam a escolher uma vida de serviço, e dar-lhes o devido preparo, eis nosso primeiro dever. “Deus amou… de tal maneira que deu” — deu “o Seu Filho unigênito” a fim de que não perecêssemos, mas tivéssemos a vida eterna. João 3:16. “Cristo vos amou e Se entregou a Si mesmo por nós.” Efésios 5:2. Se amarmos, havemos de dar. “Não para ser servido, mas para servir” (Mateus 20:28), eis a grande lição que temos de aprender e ensinar. Seja a juventude impressionada com a ideia de que não pertence a si mesma. Pertence a Cristo. São a aquisição de Seu sangue, a reivindicação de Seu amor. Vivem porque Ele os guarda com Seu poder. Seu tempo, sua força e suas aptidões pertencem-Lhe, para serem desenvolvidas, exercitadas e empregadas para Ele.

Ciência do Bom Viver, p. 395, 396.

 

 

 

OTIMIZANDO O TEMPO: DICAS DE UMA MÃE – PARTE 2

6. Envolver os filhos nas atividades domésticas, desde pequenos!

“Tanto as crianças como os pais têm importantes deveres a cumprir no lar. Deve-se-lhes ensinar que constituem uma parte da organização do lar.” (A Ciência do Bom Viver, pág. 394)

Você pode pensar, como? Aí eu perderei muito tempo com um bebê ou uma criança ao meu lado. Pense que o seu tempo poderá ser muito maior mesmo, mas, por outro lado, você estará ganhando na educação deles, pois a sua cozinha se tornará um laboratório, onde poderá dar aula de nutrição, matemática, e por aí vai…

Uma sala de estar poderá ser um ótimo lugar para uma roda de conversa, mesmo em movimento, varrendo ou limpando os móveis. Em todas as partes de nossa casa podemos estar ensinando aos nossos filhos lições preciosas que irão perdurar por toda eternidade.

Morando longe dos familiares, sem ajuda de uma secretária do lar, tive que aprender a envolver meus filhos nas atividades desde bem cedo. Mas, a dúvida: Como? O que fazer? No começo foi muito difícil, leitura e oração são indispensáveis pra não entrar em “parafuso”. Precisei adaptar-me a essa nova realidade: carrinho, cadeirinha, cercado, tapetes emborrachados.

Com esses auxiliares podia mantê-los perto de mim enquanto desenvolvia alguma atividade. E conforme iam crescendo já podiam desenvolver suas pequenas atividades sentados no tapete. E até hoje estamos sempre juntos nas atividades, isso as vezes incomoda algumas pessoas, mas não devemos nos preocupar. Filha de um pai que sempre ajudou em casa, que foi alfaiate na juventude, e que costurava em casa (Fabricava e vendia roupas) não acho estranho, por exemplo, ensinar meus filhos a costurar, lavar e passar roupa. E eles aprendem, às vezes, só olhando a gente fazer…

Algumas semanas atrás, nos preparando para o sábado, percebemos que o mais velho não colocou a calça social para lavar durante a semana, e no dia de preparação procuro não lavar roupa, somente em caso excepcional. Então falei para ele que ele precisaria lavar. E, sem reclamar, foi para o tanque e lavou a sua calça e colocou no varal. A tarde a calça estava prontinha para o sábado. Eu só passei a roupa do esposo e verifiquei a minha.

Aqui em casa os dois já preparam suas roupas para o sábado, e quando precisa passar o mais velho passa a dele e a do mais novo também. E falo isso porque não é sacrifício, ele faz com alegria, e depois vem me mostrar e perguntar se está bom.

“A educação da criança para o bem ou para o mal começa nos primeiros anos. … Quando os mais velhos se tornam maiores, devem ajudar a cuidar dos membros mais jovens da família. A mãe não deve cansar-se fazendo o trabalho que os filhos podem e devem fazer.” Manuscrito 126, 1903.

Nesse link a seguir, tem atividades que seu filho poderá ajudar conforme a idade: https://www.projetorestaure.com/incentive-seu-filho-a-ajudar-em-casa/

“Se vossos filhos não são acostumados a trabalhar, logo estarão cansados. Queixar-se-ão de dor no lado, nos ombros, membros cansados; e estareis em perigo de, por simpatia, fazer vós mesmos o trabalho em vez de permitir que sofram um pouco. Seja o trabalho das crianças muito leve de início, aumentando-se cada dia um pouco, até que possam fazer uma soma razoável de trabalho sem se cansarem.” (Testimonies, vol. 1, pág. 687)

7. Simplificando na cozinha

“Seja vosso primeiro objetivo tornar o lar aprazível. Cuidai em providenciar as condições que amenizam o trabalho e promovem a saúde e o conforto”. (A Ciência do Bom Viver, 368, 369)

E agora, hora de cozinhar! Levar duas crianças para a cozinha e ainda dois meninos, será que isto dá certo? Comigo sempre deu e dá!

“Quando nos entregamos sem reservas ao Senhor, os deveres simples e comuns da vida doméstica serão olhados em sua verdadeira importância, e cumpri-los-emos de acordo com a vontade de Deus.” (The Review and Herald, 15 de Setembro de 1891.)

Outra dica importante é adotar um regime mais simples para o sábado. Aqui em casa tem feito a diferença!!!

“Não devemos, no sábado, aumentar a quantidade de alimento ou preparar maior variedade do que noutros dias. Ao contrário, a refeição do sábado deve ser mais simples, convindo comer menos do que comumente, a fim de ter o espírito claro e em condições de compreender os temas espirituais. A alimentação em excesso entorpece a mente”. (Test. Seletos Vol. 3, pag. 23)

O sucesso para o início de uma nova semana começa logo após o pôr do sol de sábado. E vamos lá… Lavar a louça do sábado já gosto de fazer logo após o pôr do sol. Às vezes eu, as vezes os meninos, ou até o esposo. Acho essencial para começar a semana. E logo após teremos que preparar o lanche da noite. Terminando de lanchar, a cozinha já fica prontinha para o dia seguinte.

Aproveito o 1º dia da semana para fazer o pão integral para a semana toda e para preparar alimentos que posso congelar. Mas, enquanto o pão cresce já podemos ir adiantando outras coisas, como os assados para semana, feijão e outros. Apesar do meu congelador não ser grande, ele é um grande amigo. Porque cozinho ou asso uma parte, e separo outra e congelo para usar durante a semana. Geralmente faço isso na parte da tarde, porque de manhã sempre saio com os meninos para fazer uma caminhada ou atividade ao ar livre, após darmos uma geral na casa.

Lavar e higienizar as verduras e frutas, procuramos fazer quando chegamos da feira ou mercado. Facilita também na hora do preparo das refeições. E há alguns legumes que também já descasco, corto e já congelo. O almoço do primeiro dia da semana também é bem prático, normalmente um “restodontê” do sábado ou pegamos algum congelado da semana anterior.

 

Portanto, vamos simplificar!! Mas, sem perder o sabor! É válido lembrar que preparar o cardápio para a semana ajuda bastante também.

Abraço, Telma Valentim

Incentive seu Filho a Ajudar em Casa

Como incentivar seu filho a ajudar em casa? Que tarefa seria apropriada para a idade dele? Essas são algumas perguntas que a maioria dos pais fazem quando decidem envolver mais seus filhos nas tarefas domésticas da família. Veja então, uma lista de tarefas domésticas por faixa etária, que algumas famílias sugerem, com base em sua experiência.

Seu filho pode estar pronto para algumas tarefas mais cedo ou mais tarde do que a sugestão abaixo, e você com certeza se lembrará de outros trabalhos não incluídos aqui, então sinta-se livre para compartilhar conosco sua experiência nos comentários abaixo.

Uma das mais seguras salvaguardas da juventude é a ocupação útil. Há um valor indescritível no trabalho. Ensinem-se as crianças a fazer alguma coisa útil. Desde a infância, as crianças devem ser ensinadas a fazer as coisas apropriadas à sua idade e aptidão. Os pais devem encorajar agora os filhos a serem mais independentes.” Orientação da Criança, p. 122

Tarefas domésticas por faixa etária:

Idade: 1-2 anos

  1. Colocar fraldas sujas no lixo
  2. Guardar brinquedos
  3. Ajudar a colocar comida para o cachorro
  4. Colocar lixo na lixeira
  5. Ajudar a limpar coisas derramadas no chão
  6. Buscar algo que a mamãe precise
  7. Ajudar a separar roupa para lavar
  8. Colocar/tirar roupas dentro da máquina de lavar/secar
  9. Ajudar a separar roupa lavada

Idade: 3-4 anos

  1. Guardar roupas
  2. Varrer a casa
  3. Dobrar meias
  4. Ajudar a preparar refeições
  5. Colocar talheres na mesa
  6. Tirar talheres da lava-louça
  7. Limpar coisas derramadas no chão
  8. Ajudar a colher vegetais na horta

Idade: 5-6 anos

  1. Ajudar a encontrar produtos no mercado
  2. Colher vegetais na horta
  3. Tirar ervas daninhas dos canteiros
  4. Fazer sanduíche
  5. Rastelar folhas
  6. Tirar pó
  7. Passar aspirador de pó
  8. Ajudar com irmãos menores

Idade: 7-9 anos

  1. Aprender a usar o forno e fogão
  2. Aprender a usar ferramentas e fazer consertos pequenos
  3. Ajudar a preparar a lista de compras
  4. Limpar banheiro
  5. Preparar lanche para escola, passeio, etc.
  6. Preparar refeições simples
  7. Costurar botões
  8.  Separar roupas e lavar na máquina de lavar e secadora

Idade: 10-12 anos

  1. Planejar e preparar refeições
  2. Passar roupas
  3. Remendar ou costurar roupas
  4. Lavar carro
  5. Cortar grama
  6. Fazer reparos simples na casa
  7. Organizar e fazer tarefas de casa

Após os 13 anos os filhos já poderão estar bem envolvidos nas atividades de casa, sendo responsáveis por cuidar de vários aspectos das tarefas domésticas, preparar refeições sozinhos e outras atividades que exigem mais responsabilidades.

Lembre-se que o devido treinamento e supervisão são essenciais para que seu filho aprenda e aprecie ajudar no lar. E quando ele lhe ajudar demonstre gratidão e apreciação com palavras de encorajamento, um abraço e um beijo carinhoso!

O ABC da Agricultura na Educação Infantil

Você já considerou a agricultura como uma ferramenta de ensino na educação do seu filho? Provavelmente não, principalmente se você mora na cidade, mas ao estudarmos os princípios da verdadeira educação encontrados em livros como o livro Educação da escritora Ellen White, vemos que todos os tipos de trabalhos úteis que podem ser realizados na vida familiar o cultivo da terra oferecem inúmeras possibilidades de aprendizado. Ele não apenas desenvolve habilidades físicas, e mentais, mas principalmente a espiritualidade.

Joshua White, palestrante norte-americano na área de educação de filhos fez uma palestra sobre os benefícios de educar as crianças através de atividades agrícolas, baseado em inúmeras pesquisas científicas. Confira o resumo de sua palestra a seguir e enriqueça a educação do seu filho. Para acessar a palestra completa veja o link no final do texto.

“Para os primeiros oito ou dez anos da vida de uma criança, o campo ou jardim é a melhor sala de aula, a mãe é o melhor professor, a Natureza o melhor compêndio. Mesmo quando a criança tem idade suficiente para frequentar a escola, a sua saúde deve ser considerada de maior importância do que o conhecimento dos livros. Deve ser rodeada das condições mais favoráveis, tanto para o crescimento físico como para o mental.” Educação, 208.

Benefícios da jardinagem:
– Melhora a autoconfiança, valor próprio: a criança planta e vê a produção. É uma grande
oportunidade para realizar pequenas tarefas.
– Perseverança/Paciência: a criança planta e precisa esperar e germinação e produção.
– Melhor compreensão de ciências: tem a oportunidade de experimentar a verdadeira ciência e fazer
parte dela.
– Melhor aprendizado, melhor pontuação em teste acadêmicos: lidar com a terra põe a criança em contato com a microbactéria Bacchae encontrada no solo que pesquisas provam ser benéfica para o desenvolvimento mental.

“Viver no campo lhes será benéfico; vida ativa ao ar livre desenvolve a saúde tanto da mente como do corpo. Devem ter um jardim para cultivar, onde possam encontrar ocupação agradável e útil. O estudo de plantas e flores tende a melhorar o gosto e o discernimento, enquanto que a familiaridade com a bela e útil criação de Deus tem uma influência enobrecedora e refinadora sobre a mente, levando-a ao Criador e Senhor de todos.” Lar Adventista, 142.
“Em conexão com seu lar, tenha uma horta se possível, onde seus filhos possam trabalhar e você possa trabalhar com eles. Instrua-os e organize as tarefas deles para que seu tempo livre não seja gasto à toa. De a eles algo definido para fazer, e deixe que sintam que estão fazendo algo para ajudar o pai e a mãe a sustentar a família. Que os mais velhos sintam a responsabilidade de dar um bom exemplo para as crianças menores. Que todos desempenhem uma parte de acordo com sua idade. Quando crianças treinadas desse modo frenquentam escolas, eles terão uma mente clara. Eles serão capazes de raciocinar por si mesmos, e não aceitarão aquilo que essa ou aquela pessoa falam sem alguma prova.” Review and Herald.

Lidar com a terra ajuda a criança a:
– Desenvolver a comunicação não verbal
– Ter conscientização de ordem
– Fazer parcerias
– Relacionar-se com adulto
– Reduzir o nível de estresse
– Melhora a saúde

Aprendizado prático no jardim ensina:
Matemática: Contar sementes ou plantas
– Medir fileiras, distância umas das outras, altura das mudas
– Contar a produção
Ciências: Observar e predizer – quão alta será a planta
– Partes da planta e seu propósito
– Metereologia – como o clima afeta o jardim, estudo sobre as nuvens
– Sistema solar – quando plantar o que
– Insetos, ecologia, etmologia
– Ciclo de vida da planta – compostagem

Testar ideias – que métodos funcionam melhor ou não
Pensar da causa para o efeito – se plantar cenoura vai colher cenoura
Invenções – proporciona oportunidade da criança inventar ferramentas, inseticidas, fungicidas e outros produtos para controlar pragas.
Planejamento – como preservar alimentos para o inverno

O cultivo da terra auxilia no desenvolvimento físico, mental e intelectual da criança. Ele desenvolve o raciocínio, algo essencial não apenas para ser bem sucedido nesta vida, mas não vida eterna, é uma fonte de emprego útil e uma das melhores fontes de cultura física, além de nos colocar mais perto do Criador. Vamos aproveitar essa bênção que Deus deixou para nós e utilizá-la na educação dos nossos filhos.

Escute o áudio da palestra (inglês): https://www.audioverse.org/english/sermons/recordings/6981/back-to-school-theabcs-of-agriculture-in-childhood-education.html