Fisiologia no Dia a Dia

“Às crianças devem ser ensinados, já em pequeninas, os rudimentos de fisiologia e higiene, por meio de lições simples e fáceis. E este trabalho deve ser iniciado pela mãe em casa, e fielmente continuado na escola. À medida em que os alunos avançam em idade, deve-se continuar a instrução neste sentido, até que estejam habilitados a cuidar da casa em que vivem. Devem compreender a importância de se prevenirem contra as moléstias pela preservação do vigor de cada órgão, e importa que sejam instruídos na maneira de tratar as moléstias e acidentes comuns.” Educação, p. 196

Quando meus filhos estavam crescendo, durante as refeições muitas vezes discutíamos a respeito da comida. A gente come flor? E raiz? E o caule? Tem alguma semente no seu prato? É fácil para as crianças esquecerem que arroz e feijão são sementes e que brócoli é flor. Entender as partes das plantas pode ser feito a partir do prato.

Outras vezes discutiamos para onde a comida estava indo, como chegava lá e o que acontecia com ela no processo. Entender que o esôfago é o cano que leva a comida da boca ao estomago é mais fácil de entender quando se esta engolindo a comida. Comparar com os canos de água que trazem e levam água de casa e entender que o intestino é um cano enrolado para ocupar menos espaço como o esguicho lá fora também ajuda.

Porque devemos mastigar bem pode virar uma lição em como a digestão ocorre de forma mecânica com o dente e química no estômago e intestino. As fábricas que produzem esses químicos são outros órgaos ajudadores da digestão. Essas conversas vem e vão de acordo com as oportunidades e continuam enquanto há interesse. Eles vão aprendendo como o corpo funciona no dia a dia.

A dor de barriga ou outro problema de saúde é uma oportunidade para pensar o que pode ter ocasionado isso. Quebramos algumas das leis de saúde? O que nos deixou fracos para pegarmos essa gripe? Com os tratamentos naturais vamos explicando porque funcionam. Os pés na vasilha de água quente causa dilatação dos vasos e atrai mais sangue para lá descongestionando a cabeça (que tem um paninho com agua fria na testa) e ajudando a aliviar a pressão da cabeça e eliminando a dor.

O banho de contraste (quente e frio) aumenta a circulação e a produção de glóbulos brancos (os soldadinhos) e assim o corpo fica mais forte para lutar contra a doenca.

O grande conflito se passa tanto no universo como na natureza e em nosso corpo. Tudo o que fazemos ajuda um lado ou outro. Deus nos fortalece e suas leis nos protegem. Satanás tenta nos enfraquecer e trazer doença e morte tanto fisica como espiritual. O que não fortalece, enfraquece. Tudo que fazemos contribue para um lado ou outro. Quando as criancas entedem isso fica mais fácil de ver que Deus é um Deus de amor e Suas leis são para nossa proteção, saúde e felicidade.

Ajuda-los a pensar de causa para efeito e perceber a relação das coisas é um dos maiores presentes que podemos dar aos nossos filhos.

Meu amor à ciência vem de admirar a beleza dessas relações. Entender como as conexões se fazem e entender as soluções brilhantes de Deus resolvendo de forma tão inteligente os problemas do dia a dia. Como Deus cria comida usando luz, ar, água e terra. Faz comida do que há em abundância e de graça! Dessas coisas sem cor e forma faz milhares de alimentos diferentes, coloridos, e com gosto, cheiro e textura variadas.

Que Deus maravilhoso! Vamos ajudar nossos filhos a conhecê-Lo cada dia em todas as oportunidades que tivermos.

Silvia Martins

Ensinando Temperança

Quando pequena eu era vegetariana, mas confesso que não entendia muito bem o porquê, e como algumas pessoas próximas à nossa família achavam um absurdo, cresci comendo carne escondido da minha mãe, o que me levou a adquirir gosto por ela e abandonar o vegetarianismo na adolescência.

Mas Deus usou minha própria mãe para me levar de volta aos princípios saudáveis de saúde que tinha.  Certo dia ao conversarmos sobre a minha primeira gravidez, ela me perguntou se eu queria que minha filha aprendesse a comer carne. Respondi que não, com certeza! Então com muito jeito, ela me ajudou a enxergar que se continuasse comendo carne seria impossível não influenciá-la, tanto durante a gestação como depois enquanto amamentasse. Nunca tinha pensado sobre aquilo e daquele dia em diante tomei a decisão e abandonei o consumo de carne definitivamente e alguns anos depois os demais alimentos de origem animal.

Quando tive minhas filhas percebi que elas precisavam entender o porquê dos nossos princípios, caso contrário, seriam como eu. Como diz Oséias 4:6 “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento”. Isto se aplica às crianças também.

Então, desde que eram pequenas conversamos sobre os efeitos negativos de certos alimentos no corpo e sobre a vontade de Deus para nós, numa linguagem que elas entendem. Essa conversa é contínua, conforme vão amadurecendo incluo novas informações de acordo com a compreensão delas. E isto vale para todos os outros princípios também.

Aos 6 e 9 anos de idade elas são totalmente seguras de que não desejam comer carne, mas outras coisas não tão saudáveis como doces ainda são uma tentação para elas. E é incrível como quando se tem criança pequena todo mundo quer dar algum alimento, bala ou doce, em qualquer lugar que estamos, até na rua!

Então algumas coisas práticas que já fiz e ainda faço para evitar problemas:

  1. Não nos sentimos pressionados a ir a todas as festinhas para as quais somos convidados, principalmente quando sabemos que o ambiente não será favorável quanto à alimentação. Damos um presentinho com antecedência e agradecemos o convite. Mas é lógico que alguns convites são irrecusáveis, então, às vezes, alimento as meninas antes de sair, para que não sintam tanta necessidade de comer. Também não fico oferecendo comida no local e normalmente elas brincam e nem se lembram de comer. Quando vejo que tem algo que quero que elas evitem, chamo-as num cantinho e combinamos que não vamos comer aquilo, e assim elas tomam uma decisão com antecedência e normalmente ficam firmes.
  2. Adotamos também o “princípio da substituição”. Se alguém oferece bala, por exemplo, e se elas me trouxerem, troco por algo saudável, como um suco ou fruta. (Essa ideia veio da Sally Hohnberger) e funciona muito bem. Quando posso, compro aquelas balas sem açúcar (de algas ou banana) em lojas de produtos naturais e elas ficam torcendo para alguém oferecer bala, só para trocar pela saudável.
  3. Já aconteceu algumas vezes de pessoas insistirem demais, pois sentiram que as meninas estavam olhando e como “não podem passar vontade”… (você já deve ter ouvido essa conversa). Quando vejo que não adianta explicar muito aceito o que deram e guardo. Na maioria das vezes, elas esquecem, e quando não esquecem conversamos em casa e trocamos por outra coisa.
  4. Uma regra importante que procuramos seguir é não comer entre as refeições e isso acaba com uma grande parte do problema. Temos um “trato” que elas devem me contar quando alguém lhes oferece alimento. Isso ajuda muito, pois normalmente tenho tempo de explicar e orar com elas e ajudá-las a tomar a decisão certa. Por outro lado, se ganham algo saudável, procuramos combinar de guardar até a hora da refeição.
  5. Mas às vezes é lógico, nada disso funciona. No passado ficava extremamente frustrada, e tentava forçá-las a obedecer, o que pode funcionar por um tempo, mas sei que provavelmente mais tarde vão desistir como eu fiz. O que mais desejo é que as minhas filhas aprendam a escolher obedecer a Deus por amor. Então quando elas fazem uma escolha errada, procuro não comentar no momento, e depois conversamos em casa, normalmente elas mesmas se sentem mal e vêm me contar arrependidas.

Gosto muito da seguinte citação: “Todo o ser humano dotado de razão tem o poder de escolher o que é reto. Em cada incidente da vida, a Palavra de Deus para nós é: “Escolhei hoje a quem sirvais.” Jos. 24:15. Cada qual pode pôr a sua vontade ao lado da vontade de Deus, pode optar pela obediência a Ele e, ligando-se assim com as forças divinas, colocar-se onde nada o poderá forçar a praticar o mal. Em cada jovem e criança há o poder de, mediante o auxílio de Deus, formar um caráter íntegro e viver uma vida de utilidade. O pai ou professor que com tais instruções ensine à criança o governo de si mesma, será da maior utilidade e terá um êxito permanente. Para o observador superficial, o seu trabalho pode não mostrar o verdadeiro valor; poderá deixar de ser estimado em tão grande conta como o daquele que retém o espírito e a vontade da criança sob uma autoridade absoluta; entretanto, os anos vindouros demonstrarão o resultado do melhor método de ensino”. Orientação da Criança, p. 209.

Para que as minhas filhas escolham obedecer por livre e espontânea vontade elas precisam amar a Deus. Elas precisam buscar força em Deus para escolher fazer o que é certo. Por isso, Deus precisa ser real para elas é nisto que procuro concentrar meus esforços. O capítulo “A vontade como fator de êxito” do livro Orientação da Criança ajuda bastante nessa questão da escolha.

Nós pais também estamos aprendendo, e percebemos que estamos errando em alguma coisa e decidimos mudar algum hábito, explicamos para elas o que Deus nos mostrou e elas até nos ajudam quando falhamos, nos relembrando do que combinamos.

Que Deus nos ajude a ser sábios para fazermos as mudanças necessárias em nossa vida e a ensinarmos nossos filhos a buscar forças nEle para vencer suas pequenas tentações.

Abraço, Rute Bazan

Dicas de Tratamentos Naturais

Algum tempo atrás publicamos aqui uma experiência incrível que tivemos usando tratamentos naturais. Resolvemos então compartilhar alguns tratamentos que temos aprendido e experimentado. Espero que sejam úteis à você também.
Nariz congestionado (Sinusite)
Fazer vaporização com folhas de eucalipto perfumado ou camomila.

Adulto e crianças maiores: Ferver água e colocar algumas folhas de eucalipto. Transferir a água para uma vasilha plástica para evitar queimadura com a panela. Colocar a vasilha sobre a mesa, sentar-se na frente da vasilha e cobrir a cabeça com um lençol de modo que não entre friagem pelas laterais ou parte inferior. Respirar o ar quente por uns quinze minutos. Assoar o nariz conforme for discongestionando. Ao terminar o tratamento, passar um pano frio no rosto e pescoço para evitar tomar friagem ao sair de debaixo da toalha.
Crianças pequenas: Como no processo anterior, ferver água e colocar algumas folhas de eucalipto. Transferir a água para uma vasilha plástica para evitar que se queimem com a panela. Colocar a água dentro de uma barraquinha (de brinquedo) cobrindo-a com uma coberta para que não entre friagem pela abertura da porta. Entrar com a criança na barraquinha (vestindo apenas uma camiseta e roupa íntima) cuidando para não encostar na vasilha de água quente. Aproveite o momento para conversar com a criança ou levar alguns livrinhos e contar histórias. Elas vão se divertir. Ficar lá dentro por aproximadamente 15 minutos. Antes de sair da barraca passar uma toalha molhada em água fria em todo o corpo da criança e seu. Deixar a tolha perto da entrada para você não ter que tomar friagem também. Manter lenço de papel consigo, caso precisem assoar o nariz.
Fazer compressas de preferência de manhã e à noite e não sair no frio logo após ser feita. (A barrquinha foi uma idéia genial da minha amiga Ruth Cardoso)
Nota: Certo dia estava em um hotel de não conseguia dormir de tão congestionada que estava, como não tinha o material para fazer inalação, abri o chuveiro do hotel na água mais quente possível e fiquei embaixo deixando a água quente cair sobre minha testa (por uns 15 minutos). Me ajudou bastante e finalmente consegui dormir.
Febre
De acordo com especialistas, não se deve tentar reduzir febre abaixo de 38,5 graus, pois neste grau além de não representar perigo de saúde faz o corpo aumentar a produção de leucócitos (soldadinhos de defesa do corpo). Para febre acima de 38,5 graus, deitado na cama, enrolar no tórax uma toalha molhada em água fria e torcida. Cobrir com outra tolha seca e um lençol. Renovar toalha molhada quando aquecer. Quando não for possível fazer isto, colocar um lenço molhado em água fria na testa e na nuca, ou tomar um banho em água fria e colocar roupas leves ou deitar e se cobrir com um lençol. É importante evitar tomar friagem ao fazer esses tratamentos, não ficar ao sol e tomar bastante água.
Queimadura simples

Tire a baba da babosa (descascando-a) e passe sobre a queimadura. Arde um pouquinho na hora, mas logo passa. Continue passando até cicatrizar completamente. É muito bom!
Outra opção é passar azeite de oliva (boa marca) sobre o local, renovando ao perceber que se secou. Não passe azeite sobre queimaduras mais graves com erupção de pele, essas precisam de atenção médica.
Náusea e Vômito (siga os passos certinho que funciona mesmo!)
Preparar chá de hortelã (sem açucar) e deixar esfriando. Enquanto isso, por uns 15 minutos, fazer compressa fria sobre o estômago com toalha molhada em água gelada. Renovar a aplicação quando a toalha aquecer. Misturar suco de 1 limão em quantidade igual de água e tomar uma colherada a cada 3 minutos. Quando se sentir melhor tomar alguns goles do chá de hortelã frio. Após meia hora, experimentar beber suco de frutas diluído em água, depois suco de fruta puro (sem açucar). Após outra meia hora, mastigar lentamente uma maçã sem casca, e duas horas mais tarde ingerir refeição leve (tipo bolacha água e sal e fruta).
Este tratamento é ideal para náusea por indigestão ou por outra razão simples. Se outros sintomas como febre e diarréia estiverem presentes pode ser algo mais grave como infecção intestinal, procure descobrir a causa.
Alguns desse tratamento foram tirados do livro “Você pode ter Saúde Basta Querer” de Catharina Walzberg da Clínica Retiro de Recuperação da Saúde em Jarinú-SP.  http://www.retirodasaude.com.br/

Conheça alguns tratamentos naturais para bebês, clique aqui.
AVISO IMPORTANTE: As informações apresentadas aqui NÃO DEVEM ser usadas para substituir o diagnóstico clínico habilitado. PROCURE SEMPRE UM PROFISSIONAL COMPETENTE para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar medicamentos. Todo material publicado neste site possui caráter apenas informativo.