Quando o Divórcio é a Solução para os Problemas Matrimoniais

O que é o casamento? Trata-se de um processo de refinação, uma fornalha, cujo propósito é consumir a escória.

Como pastor de vocês, eu recomendo amplamente o divórcio”, disse aos meus membros certo sábado.

Agora eu sabia que havia conseguido a atenção deles. Ninguém ia dormir durante o restante desse sermão. Dava para imaginar os pensamentos percorrendo a mente deles: “Vai pregar heresia?”, “Esse vai ser o último sermão que esse pastor prega desse púlpito?”

Antes de dizer por que eu recomendo o divórcio como solução para os problemas matrimoniais, permita-me definir o contexto ao explicar as seis etapas do casamento. O motivo pelo qual temos essas seis etapas se deve à entrada do pecado neste mundo. Se os seres humanos não tivessem caído e ainda vivêssemos no Jardim do Éden, só teríamos experimentado a etapa um e a etapa seis do casamento. Mas, devido à tentação e à entrada do pecado, temos todas as seis etapas.

A etapa um é: a lua de mel. Tudo é maravilhoso e a vida é perfeita nessa etapa. Meu conselho aos recém-casados seria desfrutar de cada minuto dela. Também seria bom praticar dizer o seguinte:

  • Eu te amo
  • Desculpe-me
  • Você me perdoa?
  • Eu te perdoo.

Dizer essas coisas requer pouquíssimo esforço quando se está na etapa da lua de mel. É bom adquirir o hábito de dizer essas coisas porque quando a etapa dois entrar em cena, pode ser dolorosamente difícil dizê-las. Mignon McLaughlin, autor e jornalista norte-americano, resumiu com maestria a etapa da lua de mel desta forma: “Tenho dó de todos os recém-casados. Ela cozinha algo delicioso para ele, e ele lhe traz flores. Eles se beijam e pensam: como o casamento é simples”.

Antes de avançarmos para a etapa dois do casamento, considere esta pergunta importante: “Por que Deus não nos permite continuar na etapa da lua de mel por todo o matrimônio? Por que nosso Deus de amor permite que a encantadora etapa da lua de mel chegue ao fim?”

Já pensou nisso? Creio que se deve ao fato de Deus estar mais preocupado com nossa santidade do que com nossa felicidade. O motivo pelo qual Ele se preocupa tanto com nossa santidade é porque, no final das contas, Ele está preocupado com nossa felicidade. Não existe verdadeira felicidade à parte da santidade. Em Mateus 5:8, Jesus diz: “Bem-aventurados os limpos de coração.” Outra maneira de dizer isto é: “Felizes os santos”.

Curiosamente, em Mateus 5:4, Jesus também diz: “Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.” Trata-se de uma promessa confortadora para aqueles que lamentam por causa de seu matrimônio. Para muitos, o casamento tem se tornado um fardo, uma maldição.

Note o que Ellen G. White, cofundadora da Igreja Adventista, tem a dizer sobre a promessa de Jesus àqueles que lamentam: “As palavras do Salvador contêm também uma mensagem de conforto para os que sofrem aflição ou privação. Nossas tristezas não brotam da terra. Deus “não aflige nem entristece de bom grado aos filhos dos homens”. Lamentações 3:33. Quando permite que nos sobrevenham provações e aflições é “para nosso proveito, para sermos participantes de Sua santidade”. Hebreus 12:10” (O Maior Discurso de Cristo, página 10).

Gostaria de parafrasear a última frase desta forma: “Quando Ele permite que a etapa da lua de mel chegue ao fim, é “para nosso proveito, para sermos participantes de Sua santidade”.

A passagem continua dizendo: “Se recebida, com fé, a provação que parece tão amarga e difícil de suportar provar-se-á uma bênção. O golpe cruel que desfaz as alegrias tornar-se-á o meio de fazer-nos volver os olhos para o Céu. Quantos há que nunca teriam conhecido Jesus se a tristeza os não houvesse levado a buscar dEle conforto!”

Mais uma vez, gostaria de parafrasear a última frase desta maneira: “Quantos há que nunca teriam conhecido Jesus se a etapa da lua de mel não tivesse chegado ao fim e os levado a buscar conforto nEle!” Nosso Deus, que deseja que sejamos coparticipantes de Sua santidade, permite-nos ir da etapa da lua de mel até a próxima etapa.

Quando eu perguntei aos meus membros qual, na opinião deles, seria a próxima etapa, alguém gritou: “A etapa do pesadelo!” Acho que seria uma descrição adequada. A etapa dois é: no que eu estava pensando?

Quando a etapa dois chega, as pessoas se pegam pensando: “Meu cônjuge e eu somos completamente opostos”. Para muitos casais, o que inicialmente os atraiu ao seu cônjuge, futuramente, os incomodará neles. Por exemplo, o introvertido tímido que é atraído pela extrovertida sociável, futuramente, se ressente pelo fato de ela estar sempre passando tempo com as amigas, em vez de estar em casa com a família.

A etapa do divórcio

A próxima etapa é quando geralmente ocorre o divórcio. A etapa três é: tudo seria maravilhoso se você mudasse. Quando nos casamos com alguém, escolhemos uma dentre as 7 bilhões de pessoas deste planeta e, em seguida, de repente, estamos dizendo: “Você tem que mudar”. Dizem que as mulheres se casam pensando: “Eu vou mudá-lo”, enquanto que os homens se casam pensando: “Ela nunca vai mudar”.

Ora, se você se encontra na etapa três, com o lar completamente destruído e o casamento se despedaçando, eu recomendo amplamente o divórcio. Sim, você leu corretamente. Vou repetir: “Eu recomendo amplamente o divórcio”. Eu concordo plenamente com esta citação do livro God’s Little Instruction Book for Couples [O Livrinho de Instruções de Deus para Casais, em tradução livre] de Jerry McCant: “Não se pode ser casado e feliz a menos que você se divorcie de seu eu. Um casamento bem-sucedido exige uma certa morte ao eu.”

O apóstolo Paulo em 1 Coríntios 15:31 diz: “Dia após dia morro.” Em Gálatas 2:19, 20, ele diz: “Estou crucificado com Cristo, logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.”

De igual modo, nós também devemos morrer para o eu se quisermos ter um casamento bem-sucedido.

Considere estas palavras de um manual de preparação para o casamento intitulado: Before You Say “I Do” [Antes de Dizer “Aceito”, em tradução livre], de H. Norman Wright e Wes Roberts: “O casamento é um processo de refinação que Deus usará para que nos tornemos o homem ou a mulher que Ele deseja que nós nos tornemos. Pense nisso. Deus usará seu casamento para os propósitos que Ele tem. Ele vai moldar e refinar você para o seu próprio bem e para Sua glória.” O que é o casamento? É um “processo de refinação”, uma fornalha. Uma fornalha é um lugar com temperaturas bem quentes. Devemos nos lembrar que o propósito do fogo não é destruir você, mas consumir a escória. Ellen White tem muito a dizer quanto à fornalha da refinação. Lemos que “a fornalha da refinação é para remover a escória. Quando o Refinador vir em vós perfeitamente refletida Sua imagem, Ele vos tirará da fornalha. Não será permitido que vos consumais, ou que suporteis a ardente prova nem um pouco mais do que seja necessário para vossa purificação” (Nossa Alta Vocação, p. 312).

Conseguiremos passar pela etapa três com sucesso se estivermos dispostos a obter um divórcio do eu e a reconhecer que Deus deseja nos conformar à imagem de Cristo.

Eu Escolho Amar Você

A etapa quatro é: eu escolho amar e aceitar você como você é.

Deus está nos chamando a fazer por nosso cônjuge aquilo que Ele tem feito por nós. Deus escolheu nos amar, e isso não se deu quando começamos a nos arrepender e assumir nossos próprios atos. A Bíblia diz que: “Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” (Romanos 5:8). Quando Jesus foi açoitado e zombado, Sua resposta foi: “Eu te amo”. Quando perfuraram-Lhe as mãos com cravos, Sua resposta foi: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lucas 23:34). Em Efésios 5:25, diz: “Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela.” Deus está nos chamando a amar nosso cônjuge com mesmo o amor abnegado com o qual Ele nos amou.

Se conseguirmos morrer para o eu e aprendermos a amar de maneira abnegada por meio de Sua força e graça, podemos avançar às etapas cinco e seis. A etapa cinco é: eu sou abençoado por ter você em minha vida. E a etapa seis é: quero envelhecer com você.

Ao trilharmos a jornada rumo ao céu com nosso cônjuge, sempre tenhamos em mente que Deus está usando nossas experiências no casamento para nos transformar diariamente, a fim de que possamos refletir o caráter de Cristo. Lemos que: “A divina obra de refinar e purificar precisa ir avante até que Seus servos estejam tão humilhados, tão mortos para o próprio eu que, ao serem chamados para serviço ativo, tenham em vista unicamente a glória de Deus. […] Deus muitas vezes abate o homem até ao pó, aumentando a pressão até que a perfeita humildade e a transformação do caráter o ponham em harmonia com Cristo e o espírito do Céu, e tenha a vitória sobre si mesmo” (Testemunhos para a Igreja, vol. 4, página 86).

Lembremo-nos de que Deus “muitas vezes” nos “abate” “até ao pó”, até que nos tornemos semelhantes a Cristo. Isso pode explicar por que seu cônjuge continua fazendo aquela mesma coisa irritante e aborrecedora que leva você à loucura praticamente todos os dias. Se essa é a sua experiência, eu recomendo amplamente que você se divorcie do seu eu agora. Que possamos dizer como o apóstolo Paulo: “Dia após dia morro”.

 

Martin Kim, pastor, Igreja Adventista do Sétimo Dia de Southcenter, Associação de Washington.

Tradução: Hander Heim

5 Segredos Para Fortalecer o Seu Casamento

1. “Tendo antes de tudo ardente amor uns para com os outros, porque o amor cobre uma multidão de pecados.” – 1 Pedro 4:8

2. “E, se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa.” – Eclesiastes 4:12

3. “Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, procurando diligentemente guardar a unidade do Espírito no vínculo da paz.” – Efésios 4:1-3

4. “Pois eu bem sei os planos que estou projetando para vós, diz o Senhor; planos de paz, e não de mal, para vos dar um futuro e uma esperança.” – Jeremias 29:11

5. “Porquanto o que Deus ajuntou, não o separe o homem.” – Marcos 10:9

Se você é casado ou está pensando em se casar. Escreva estes versos em seu coração. Memorize e medite neles diariamente. Em seu relacionamento, converse com seu cônjuge sobre estes versos, incentivem um ao outro com essas palavras, e torne-as uma realidade em sua vida!

Aqui vão alguns outros versos que você pode estudar também.

Efésios 5:21, Mateus 19:4-6, 1 João 4:7-8, 1 Coríntios 13:4-8, Colossenses 3:18-19, Provérbios 12:4, 1 Coríntios 7:3

 

Imagem: http://www.freedigitalphotos.net/

Desafio de 30 Dias para Esposas

Creio muito no valor das pequenas coisas, principalmente quando elas são atos de amor para aquele a quem você prometeu amor eterno.

Experimente este Desafio por 30 dias e você verá uma grande diferença em seu casamento. Seu esposo vai amar!

1.       Pergunte, “O que posso fazer para lhe ajudar hoje?”
2.       Passe o dia inteiro sem corrigir seu marido.
3.       Abrace seu esposo três vezes hoje.
4.       Beije seu esposo da primeira vez que o ver pela manhã.
5.       Diga a si mesma, “Ele realmente ama sua família, e está fazendo o melhor por nós.”
6.       Prepare ou compre sua comida preferida.
7.       Escreva um bilhete de amor para ele.
8.       Planeje pelo menos uma saída a sós com ele este mês.
9.       Imagine como é estar no lugar do seu esposo.
10.   Enfoque de hoje: bondade.
11.   Diga a ele, “Sou tão feliz por ter me casado com você!”
12.   Peça a Deus sabedoria por ser uma esposa.
13.   Não use de sarcasmo com seu esposo hoje.
14.   Lembre-se que ser uma esposa é uma bênção.
15.   Pense pensamentos positivos sobre seu esposo.
16.   Agradeça-o por tudo que ele faz por sua família.
17.   Ria com seu esposo hoje.
18.   Quem é uma esposa que você admira? Procure ser mais como ela hoje.
19.   Não peça a ele para fazer nenhum trabalho pendente em casa.
20.   Enfoque de hoje: paciência.
21.   Perdoe seu esposo quando ele cometer um erro.
22.   Pense o melhor de seu esposo.
23.   Trate-o com respeito hoje.
24.   Não interrompa seu esposo quando ele está conversando.
25.   Peça a opinião do seu esposo sobre algo.
26.   Incentive seu esposo.
27.   Faça de bom para a saúde dele (alimento saudável, caminhada com ele, marque uma consulta para o check up anual dele).
28.   Olhe para ele com admiração. Tenha certeza que ele veja você olhando para ele.
29.   Desligue o celular, computador, ou TV quando seu esposo está no mesmo cômodo.
30.   Enfoque de hoje: amor.

Fonte: iMOM.com/

©2012 iMOM. Todos os Direitos Reservados. Family First, All Pro Dad, iMOM, e Family Minute com Mark Merril são marcas registradas.

Terapia da Gaveta

O que você faz quando está frustrado com alguém e não consegue mudar seu coração, não consegue perdoar, nem aceitar a opinião dele? A Bíblia diz que só Deus pode mudar nosso coração: “Darei a eles um coração não dividido e porei um novo espírito dentro deles; retirarei deles o coração de pedra e lhes darei um coração de carne” Ezequiel 11:19. Mas como será que isto funciona na prática? 

Alguns anos atrás Deus começou a usar um sistema comigo que chamo de “Terapia da Gaveta”.  A primeira vez foi mais ou menos assim…
Certo dia eu estava tentando resolver alguma coisa com meu esposo, só que eu tinha uma opinião e ele outra, contrária à minha. Não conseguíamos chegar a um acordo e eu saí de perto dele muito frustrada. Fui para o quarto, sentei na cama e fiquei alimentando aqueles pensamentos descontentes. Comecei a resmungar para Deus esperando que Ele me “desse razão” e Ele simplesmente impressionou meu coração com o seguinte pensamento: “Arrume as gavetas dele”.
“O quê?” eu pensei, “no momento estou tão frustrada que não que não tenho vontade de fazer nada para ele, muito menos arrumar suas gavetas”. Mas, novamente a mesma impressão veio à minha mente “arrume as gavetas dele”.
Levantei-me muito sem vontade, mas resolvi arrumar as gavetas. No início estava remoendo as frustrações e comecei a fazer de má vontade, o mínimo possível, mas Deus tocou meu coração novamente para que fizesse meu melhor. Depois me veio o pensamento de que talvez de alguma forma fazendo uma “boa ação” para ele, ele mudaria de idéia. Com o passar do tempo, no entanto, percebi que era meu coração que precisava de uma mudança e era nele que Deus estava trabalhando, não no coração do meu esposo.
Naquele processo, enquanto ia dobrando as roupas algo surpreendente começou a acontecer. Comecei a ter “bons” pensamentos sobre meu esposo. Comecei a pensar nas coisas boas que ele faz por mim, no quanto ele cuida de mim, nas boas qualidades que ele tem… e toda aquela frustração, aos poucos, foi passando. Terminei de arrumar as gavetas e resolvi olhar o guarda roupa dele também. A esta altura meu coração já estava tão cheio de amor por ele, que fiz o meu melhor, arrumei os sapatos e até organizei as camisas por cor.
Depois fiquei pensando, “de onde veio esse amor, esses pensamentos bons”. Eu jamais poderia fabricá-los da minha própria vontade, foi Deus quem os colocou em meu coração. “Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade” Fil. 2:13. A minha parte foi me submeter à Sua vontade, isto é ouvir as suas impressões e escolher obedecer.
Compreendi que era o inimigo que queria destruir meu relacionamento com meu esposo e por isso estava colocando aqueles pensamentos negativos em meu coração. Até mesmo depois de ter arrumado tudo ele ainda me tentou com o desejo de querer que meu esposo viesse me agradecer pelo que fiz, mas Deus imediatamente tocou meu coração de que aquela não era a razão pela qual eu havia arrumado.
Faz uns cinco anos que passei pela terapia da gaveta pela primeira vez. Desde então, tenho notado que Deus tem usado o mesmo “tratamento” comigo outras vezes quando preciso de uma mudança de coração em relação ao meu esposo e até mesmo minhas filhas. E sabe de uma coisa, sempre funciona!
Não sei qual tipo de terapia Deus tem usado em você. Quando estiver muito frustrado, converse com Ele, e Ele vai lhe indicar a melhor coisa a fazer. Lembre-se de que sozinho não somos capazes de mudar nosso coração. Não somos capazes nem mesmo de ter disposição para mudar. Mas podemos pedir que Deus nos dê disposição, que Deus nos dê vontade e Ele operará um milagre em nós se assim O permitirmos.

O Segredo de Maria

Você já parou para pensar porque Deus escolheu Maria para ser mãe de Jesus? Certo dia essa pergunta me veio à mente e após uma rápida análise do relato bíblico sobre José e Maria, notei algumas coisas especiais. Ambos temiam a Deus, portanto eram obedientes. Veja os seguintes textos: “Despertado José do sono, fez como lhe ordenara o anjo do Senhor e recebeu sua mulher” Mat. 1:24. “Então, disse Maria: Aqui está a serva do Senhor; que se cumpra em mim conforme a tua palavra…” Lucas 1:38 .
Mas havia algo muito especial em Maria que chamou minha atenção e que entendi como sendo o segredo que foi a razão de ser escolhida para ser mãe de Jesus. Veja os textos a seguir: “Maria, porém, guardava todas estas palavras, meditando-as no coração” Lucas 2:19. “E desceu com eles para Nazaré; e era-lhes submisso. Sua mãe, porém, guardava todas estas coisas no coração” Lucas 2:51. Você percebeu qual era o segredo dela? Maria guardava tudo em seu coração, ela era extremamente discreta.
 
Muitas coisas incríveis aconteceram com aquele humilde casal de Nazaré, mas em vez de sair contando para os quatro cantos da terra eles ficavam quietos e guardavam tudo no coração. Ao perceber que Maria estava grávida, a Bíblia diz que José resolveu divorciar-se dela em secreto. Mesmo estando descontente e confuso José ficou quieto, não saiu espalhando a notícia. Maria, por outro lado, como ainda era adolescente poderia sair se gabando para os outros por ter sido escolhida como mãe do Salvador e por ter tido o privilégio de conversar com um anjo, mas não, escolheu ficar quieta. Depois do nascimento de Jesus, quando os magos apareceram e lhes deram presentes, também poderia ter se sentido muito especial para Deus e sair mostrando seus valiosos presentes aos amigos e vizinhos. Mas não, escolheu guardar tudo em seu coração.
 
A discrição é uma qualidade que Deus dá muito valor e deseja que todos nós desenvolvamos. Mas infelizmente vivemos em uma sociedade onde a discrição nem sempre é valorizada. Hoje em dia, as pessoas têm tanta necessidade de mostrar suas qualidades e conhecimentos que muitas vezes, principalmente nós, mulheres, acabamos falando demais e como diz o ditado “damos bom dia a cavalo”. Provérbios 18:21 diz que “a morte e a vida estão no poder da língua…” Isso não se refere apenas à falar mal dos outros, mas também a falar demais e falar sem pensar.
Uma das razões porque nós mulheres muitas vezes não somos discretas é porque nos consideramos superiores aos nossos esposos. A mulher normalmente parece ser mais decidida que o homem, mas isso nem sempre é uma vantagem. O homem pode parecer enrolado para tomar decisões, mas o que parece ser uma indecisão pode, na verdade, ser prudência da parte dele. E o que parece determinação da parte da mulher, muitas vezes é precipitação e imprudência.
A psicologia diz que diferenças de sexo e de funções cerebrais indicam que a mulher é mais rápida para ativar certas partes da mente, portanto é mais sensível ao estresse. Por outro lado o homem é menos sensível ao estresse, portanto consegue lidar melhor com ele. Isso talvez explique porque tantas vezes, nós mulheres, nos precipitamos tanto enquanto nosso esposo continua calmo mesmo em meio a uma crise. Infelizmente, em minha vida, já passei por muitas situações desagradáveis, por ser precipitada e não ser discreta. Compartilho uma delas, não por me orgulhar, ao contrário, me envergonho do que fiz, mas assim como eu aprendi uma grande lição, quem sabe essa história possa ajudar alguém a evitar situações desagradáveis no futuro. 
Vários anos atrás, estava chegando com minha família em um local.

Meu esposo tinha iso à frente enquanto eu acabava de arrumar as meninas no carro. Ao me aproximar dele vi que estava conversando com um menino que chorava desesperadamente. O menino de 7 anos dizia que todos na casa tinham saído e que ele ficara sozinho. (Nos EUA deixar uma criança sozinha em casa é crime gravíssimo).
Meu esposo estava tentando resolver a situação de modo pacífico, chamando alguém da família para buscá-lo, mas quando eu cheguei e ouvi a história, fiquei tão indignada com a situação que simplesmente sugeri que chamássemos a polícia. O Dawerne disse que não, que precisávamos esperar, mas eu simplesmente queria que a justiça fosse feita na hora, então peguei o telefone da mão dele e chamei a polícia.
Cinco minutos depois a polícia chega e logo atrás dela um dos irmãos do menino. Já comecei a ficar sem graça e reconhecer a besteira que tinha feito. Mas quando a polícia chegou perto, fui logo falando o que tinha acontecido. O policial olhou para mim e perguntou: “Quem encontrou o garoto?” Eu disse: “Meu esposo.” E ele disse: “Então, é com ele que vou conversar.” Agora tinha certeza que tinha feito uma grande besteira…
Resumindo… Meu esposo foi convocado para depor contra a família por negligência de menor e eu que não tinha nada que ver com a história era a culpada de tudo. Para piorar a situação, fiquei sabendo que a mãe do menino tinha abandonado a família e o pai e os irmãos mais velhos cuidavam dele sozinhos.
Entre este incidente e a data da corte passaram-se uns 2 meses e não preciso nem dizer que foram os piores dois meses da nossa vida. Com certeza a única coisa que nos manteve unidos foi o amor e perdão que Deus colocou e no coração do Dawerne para que ele me perdoasse.
Eu me humilhei perante Deus e orei intensamente durante esse período e Deus foi muito bondoso para com todos nós. Meu esposo foi à corte, mas não precisou testemunhar. Os advogados chegaram a um acordo com o pai do menino e a situação foi resolvida sem muitos problemas.
Com certeza estas poucas palavras não descrevem a agonia, vergonha e angústia que todos os envolvidos sentiram, mas serviu acima de tudo como uma grande lição para mim. Precisava aprender a ser discreta, a valorizar a sabedoria e prudência do meu esposo.
Creio que Deus permitiu que eu passasse por isso para que aprendesse a lição de Maria – ser discreta. Acho que eu não poderia ter sido escolhida para ser uma “Maria”, mas tenho certeza que agora Deus pode transformar meu coração, e que nas mãos dEle eu posso ser um bênção e não uma maldição para os outros.
Um dos meus versos favoritos hoje é: “Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar” Tiago 1:19. Que Deus nos ajude a sermos discretas em nosso falar e em nossas ações.

A Graça de Cristo e o Casamento

 A GRAÇA de Cristo, e ela somente, pode tornar o casamento o que Deus designou que fosse: “Um meio para a bênção e reerguimento da humanidade.”
E assim as famílias da Terra, em sua união, amor e paz, podem representar a família do Céu.
Hoje, como nos dias de Cristo, a condição da sociedade apresenta triste quadro do ideal celeste dessa sagrada relação. No entanto, mesmo para os que depararam com amargura e desengano quando haviam esperado companheirismo e alegria, o evangelho de Cristo oferece um consolo:
1.       A paciência e a ternura que Seu Espírito pode comunicar, suavizará a condição de amargura.
Se seu coração está amargurado com decepções e sonhos desfeitos, busque a presença do Espírito Santo em seu coração, e Ele o encherá de paciência e ternura que suavizará sua tristeza.
2.       O coração em que Cristo habitar, estará tão repleto, tão satisfeito com Seu amor, que não se consumirá no desejo de atrair simpatia e atenção para si próprio.
Deixe Jesus “habitar”, em seu coração, isto é – entrar e permanecer lá para sempre. Muitas vezes buscamos a Jesus em nossa tristeza, mas pouco tempo depois o deixamos sair e continuamos em nossa dor e não aproveitamos a bênção que é a Sua presença contínua. E o resultado é que imediatamente começamos a olhar para nós mesmos e passamos a sentir pena de nós mesmos em vez de apreciarmos a presença de Jesus e deixarmos Ele nos satisfazer com o amor que só Ele pode nos dar. Quando deixarmos Jesus habitar em nós, nosso coração ficará totalmente repleto do amor de Cristo, e nossa falta será suprida.
3.       Pela entrega do coração a Deus, Sua sabedoria pode realizar o que a sabedoria humana deixa de fazer.
Muitas passamos por situações difíceis de serem resolvidas em nosso casamento e entramos em desespero, pois não conseguimos ver uma solução. Mas Deus em Sua sabedoria sabe exatamente como solucionar cada situação, e ao Lhe entregarmos nosso coração, sua sabedoria realizará aquilo que necessitamos.
Por meio da revelação de Sua GRAÇA, os corações que uma vez estiveram indiferentes ou desafeiçoados podem ser unidos em laços mais firmes e mais duradouros que os da Terra – os áureos laços do amor que suportará o calor da provação.
O Maior Discurso de Cristo, p. 44. (Comentários em itálico).

O Segredo dos Meus Pais

Dia 18 de setembro, meus pais celebraram 45 anos de casamento (Bodas de Safira). Tivemos a oportunidade de nos reunir com familiares e amigos e passar momentos muito agradáveis relembrando histórias e fatos do passado bem como aprendendo coisas novas e fazendo novos amigos.
Para comemorar as bodas, meus pais planejaram fazer uma confraternização na cidade próxima ao sítio onde moram, pois além de celebrar com familiares e amigos, queriam aproveitar a ocasião para formar maior vínculo com os novos amigos da cidade e testemunhar do amor de Deus. Reservaram então o ginásio da escola municipal e juntamente com eles nós os familiares fizemos toda arrumação, decoração, parte da alimentação e no domingo à tarde, tivemos uma pequena cerimônia com a participação do pastor da igreja, músicas e outras homenagens especiais, e no final oferecemos um lanche aos quase 150 convidados que estavam presentes.
Apesar de ser um momento tão especial, confesso que na correria dos preparativos, não havia parado para pensar no que aquele evento realmente significou para mim. Depois de tudo ter passado então, parei e comecei a refletir. Talvez a maior lição que tirei, não apenas do evento em si, mas do que meus pais têm ensinado após 45 anos de casamento foi “aprender a abrir mão dos meus próprios interesses em favor dos outros”.
Em vários momentos durante os preparativos para o evento, ao preparar o alimento, ensaiar as músicas, fazer a ordem do programa, trabalhar na decoração ou decidir o que comprar ou não, tive que fazer escolhas. Muitas vezes as escolhas das pessoas trabalhando comigo nem sempre estavam de acordo com as minhas. Um queria assim, o outro achava melhor de outro jeito, e por várias vezes, tive que deixar gostos e interesses pessoais de lado e concordar para que as coisas simplesmente acontecessem, e sabe de uma coisa? Era muito gostoso ver a alegria no rosto da pessoa ao conseguir fazer do jeito que planejara.
Muitas vezes vi e ainda vejo esse tipo de comportamento em meus pais – abrir mão dos próprios interesses em favor do outro. Lembro-me quando pequena, de momentos em que passamos dificuldades e meu pai se sujeitou a trabalhar em empregos que não eram sua primeira opção, mas fez tudo para permitir que nós, os filhos tivéssemos uma educação melhor. Algumas mudanças que fizemos como família, não eram necessariamente o desejo de minha mãe, mas ela simplesmente abriu mão de seus gostos pessoais, para o bem da família. Inúmeras vezes isso aconteceu e ainda acontece e creio que este é o segredo de terem alcançado 45 anos de casamento.
Mas sabe, abrir mão dos próprios interesses é algo muito difícil, ou melhor, impossível de fazer por nós mesmos. Apenas aqueles que temem a Deus conseguem fazê-lo.

Naquele final de semana, minha mãe me contou que ao convidar uma conhecida para as bodas a pessoa disse com tristeza que recentemente havia se separado do marido, e que neste ano também estariam completando 45 anos de casamento. Que tristeza! Após 45 anos, em algum momento alguém não abriu mão de seus interesses e toda aquela experiência juntos terminou.

Abrir mão dos próprios interesses significa se sujeitar à vontade do outro. A Bíblia diz que devemos nos encher do Espírito de Deus… sujeitando-nos uns aos outros no temor de Deus (Efésios 5:21). Não há outra maneira de conseguirmos viver em paz e felicidade enquanto estivermos neste mundo de pecado. Que Deus nos ajude a nos sujeitar à vontade dEle em primeiro lugar, pois só assim teremos força para nos sujeitar uns aos outros.

Queridos pais, muito obrigada pelo exemplo de amor. Amo vocês!

Amar é… Impossível

Algum tempo atrás li o livro “O Desafio de Amar” e confesso que fiquei surpresa, principalmente com o texto abaixo, apesar de achar que já sabia que o verdadeiro amor entre marido e mulher só pode vir de Deus, a verdade é que sempre queremos alcança-lo por nossos próprios esforços. Ao ler este texto, senti Deus falando a mim: “Filha até para amar você precisa de mim, sem mim… é impossível amar”. Espero que ler este texto seja uma bênção para você como foi para mim.

“O desafio de amar começa com um segredo… O segredo é este: você não pode fabricar amor incondicional (ou amor ágape) do seu próprio coração. É impossível. Está além de todas as nossas capacidades.

Você pode ter demonstrado bondade e altruísmo de alguma maneira, e você pode ter aprendido a ser mais atencioso e ponderado. Mas amar alguém sincera, abnegada e incondicionalmente é uma questão completamente diferente.
Então como você pode fazê-lo?

Goste ou não, o amor ágape não é algo que você pode fazer. É algo que apenas Deus pode fazer. Mas devido ao Seu grande amor por você – e Seu amor por seu cônjuge – Ele escolhe expressar Seu amor através de você.

Ainda assim, talvez você não acredite nisto. Você pode estar convencido de que com esforço e compromisso suficiente, você pode conseguir amor incondicional, duradouro, que se sacrifica de dentro de seu próprio coração. Você quer acreditar que está dentro de você.
Mas quantas vezes seu amor falhou em evitar que você mentisse, tivesse pensamentos impuros, exagerasse suas emoções ou desejasse o mal para a pessoa a quem, perante Deus, você prometeu amar para o resto de sua vida?
Quantas vezes seu amor provou ser incapaz de controlar a raiva? Quantas vezes seu amor lhe motivou a perdoar ou trouxe um fim pacífico a um argumento contínuo?
É esta falha que expõe o ser humano à sua condição pecaminosa. Todos nós pecamos e carecemos da glória de Deus (Romanos 3:23). Todos nós demonstramos egoísmo, ódio e orgulho. E a menos que algo seja feito para nos limpar desses atributos maus, nos levantaremos perante Deus condenados (Romanos 6:23). É por isso que se você não se acertar com Deus, você não pode amar de verdade seu cônjuge porque Ele é a Fonte desse amor.
Você não pode dar o que você não tem. Você não pode buscar reservas e recursos internos que não estão lá para serem usados. Da mesma maneira que você não pode dar um milhão de dólares se você não tem, você não pode pagar amor em medida maior à que você possui. Você pode tentar, mas falhará.
Então a dura notícia é esta: amor que é capaz de suportar toda pressão está fora do seu alcance, enquanto estiver buscando encontra-lo dentro de si mesmo. Você precisa alguém que possa lhe dar este tipo de amor.
“O amor procede de Deus” (1 João 4:7). E apenas aqueles que têm permitido que Ele entre no coração através da fé em Seu Filho, Jesus – apenas aqueles que receberam o Espírito de Cristo através da crença em sua morte e ressurreição – são capazes de atingir o verdadeiro poder do amor. “Sem mim”, disse Jesus “vocês não podem fazer coisa alguma” (João 15:5).
Mas Ele também disse, “Se vocês permanecerem em mim, e as minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e lhes será concedido” (João 15:7). Deus prometeu através de Cristo habitar em seu coração pela fé para que você possa “conhecer o amor de Cristo que excede todo conhecimento, para que vocês sejam cheios de toda a plenitude de Deus (Efésios 3:19).
Quando você se entrega a Cristo, Seu poder poder operar em você. Até quando você faz o seu melhor, você não é capaz de viver à altura dos padrões de Deus. Mas Ele “é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós” (Efésios 3:20). É assim que você ama o seu esposo.
Então este segredo – mesmo que pareça uma derrota – tem um final feliz para aqueles que pararem de resistir e receberem o amor que Deus tem para eles. Isto significa que o amor que Ele derramou “em nossos corações, por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu” (Romanos 5:5) está sempre disponível, toda vez que escolhermos nos submeter a Ele.
Você simplesmente não será capaz de fazê-lo sem Ele.
Talvez você nunca tenha entregado seu coração à Cristo, mas você sente que Ele está lhe atraindo hoje. Você também pode estar percebendo pela primeira vez que quebrou a Lei de Deus, e que sua culpa lhe impede de conhecer a Ele. Mas a Bíblia diz que se você se arrepender abandonando seus caminhos de pecado e voltar-se para Deus, Ele está disposto a lhe perdoar por causa do sacrifício que Seu Filho fez na cruz. Ele está lhe buscando, não para lhe escravizar, mas para lhe libertar, para que você receba Seu amor e perdão. Então você pode compartilha-lo com aquele a quem você foi especificamente chamado a amar.
Talvez você já seja um crente, mas você admitiria que tem andando longe da comunhão com Deus. Você não lê Sua Palavra, você não ora, talvez você nem vá mais à igreja. O amor que você sentia correndo em suas veias tornou-se em apatia.
A verdade é, que você não pode viver sem Ele e você não pode amar sem Ele. Mas não há como dizer o que Ele pode fazer por seu casamento se você depositar sua confiança nEle.”
Tirado do livro “O Desafio de Amar” de Steven & Alex Kendrick com Lawrence Kimbrough.

Dizer o Que?

O tema central da comunicação em um relacionamento é a mensagem “você é importante para mim”. Todos querem saber que são valorizados, especialmente pela pessoa mais importante em sua vida. Isto é algo simples que tem revitalizado nosso casamento, e pode causar mudanças positivas para qualquer relacionamento. Aqui estão duas maneiras de transmitir que seu cônjuge é importante para você:
1.       Diga coisas agradáveis ao seu cônjuge. “Eu realmente aprecio o esforço que você faz para preparar as crianças para a escola”. Uma notinha junto à chave do carro dizendo, “Tenha um bom dia querido. Estarei pensando em você”. Não apenas a declaração, mas também o fato de que você pensou em dizê-lo fala muito alto sobre a importância dele ou dela para você.
2.       Diga coisas positivas sobre seu cônjuge. Nossas palavras influenciam nossa própria atitude.  “Minha esposa é uma excelente anfitriã.” “Meu esposo é tão atencioso.” Dizer coisas positivas desenvolve pensamentos e sentimentos positivos para com aquele(a) de quem falamos, aumentando assim nosso senso de seu valor. Pense no efeito positivo que pode trazer!
 Cada um desses pontos tem um lado contrário. Enquanto buscamos dizer mais coisas agradáveis ao nosso cônjuge, vamos também nos concentrar em deixar de falar palavras desagradáveis que somos tentados a dizer. Quando se sentir frustrado, este é o momento de ficar calado! O momento de discutir assuntos difíceis é quando estamos calmos e quando a cólera passou. Quando você sente o desejo de falar sobre algo que lhe incomoda, esta provavelmente é a hora errada de fazê-lo!
Do mesmo modo que falar positivamente sobre seu cônjuge gera bons sentimentos para com ele ou ela, falar de modo crítico aos outros destrói esses sentimentos. A prática comum de brincar à custa do outro é destrutiva. Em vez disso, você pode encorajar a ideia “gostamos de ficar juntos”.

Em nosso casamento, encontramos muitas outras maneiras de comunicar a mensagem “você é importante para mim”, tais como pequenos atos de serviço, dar as mãos, ou dar atenção total enquanto o outro fala. Você pode aprender a pensar e dizer, “Eu lhe valorizo. Minha vida é melhor com você!” E no íntimo do seu coração você sabe que isto é exatamente o que todos nós queremos saber.

Baird e Mary Corrigan. Traduzido e usado com permissão do projeto Forever a Family (www.foreverafamily.org).

Caminhando Juntos… Ou Correndo na Frente?

Eu me lembro do dia em que diante de Deus, nossos familiares, e amigos, prometi solenemente amar, honrar e cuidar do meu esposo até a morte. Honrar? Como deveria cumprir este voto?
Em uma sessão de aconselhamento pré-nupcial, nosso pastor me aconselhou a não passar na frente do meu esposo. Eu costumo pensar rápido, mas isto não significa que as minhas decisões são sempre melhores. De fato, os pensamentos profundos do meu esposo frequentemente o capacitam a tomar decisões melhores. Quando alguém faz uma pergunta, sou tentada a responder primeiro; mas o Espírito Santo está me lembrando de dar ao meu esposo tempo para responder.
Romanos 12:10 declara, “preferindo-vos em honra uns aos outros”, mas como posso aplicar este princípio de maneira prática em minha vida? Planejando com antecedência e buscando oportunidades para honrar aquele que eu amo têm sido muito positivo para o nosso casamento. Creio que é importante para o auto-respeito do meu esposo, encorajá-lo ficando quieta e atenta conforme ele expressa seus pensamentos. Isso lhe revela que eu acho que ele é inteligente e que valorizo o que diz. Quero que nossos filhos vejam meu esposo como o líder em nosso lar e posso construir ou destruir esta posição pelo modo como escolho honrá-lo.
Recentemente, estávamos antecipando uma agradável noite com amigos para celebrar o 9° aniversário do nosso filho. Havia feito um bolo e estava aguardando ansiosa para decorá-lo quando meu esposo perguntou se ele podia fazê-lo. Senti que como decoradora profissional poderia não apenas decorá-lo mais rápido, mas deixá-lo mais bonito também. Mas será que isto honraria meu esposo? Escolhi deixá-lo decorar o bolo do nosso filho. O estilo dele era básico, mas também único, com cores bem escolhidas. Nossos amigos ficaram surpresos com sua criação, e nosso filho ficou tão orgulhoso do bolo que “o papai fez”. Eu também fiquei feliz com a escolha que fiz para honrá-lo.
Esposas, esta é uma lição difícil de ser aprendida e frequentemente precisa ser repetida. Diariamente, nas pequenas e grandes decisões, estamos escolhendo ferir ou honrar nosso esposo. Que possamos ouvir o convide do Pai Celestial ao compreendermos que honrar nosso esposo é sempre a melhor escolha.
Delores Mishleau
Traduzido e usado com permissão do projeto Forever a Family (www.foreverafamily.org).