Poucos anos atrás ouvi de um pastor amigo meu uma frase que me marcou. Dizia ele que o que finalizaria a obra de Deus na terra não seriam as campanhas evangelísticas estratégicas, ou os grandes recursos que a igreja possui como a mídia com rede de rádios e canais de TV, mas sim o amor sincero do povo de Deus pelo próximo. O mesmo amor que Cristo tinha quando andou por aqui entre nós. Um amor que somente Deus pode fazer brotar no coração de Seu povo. Outra frase impressionante de outro pastor muito consagrado foi que a verdadeira santificação é uma vida de serviço ao próximo. Resumir essas duas frases nada mais é do que viver a vida que Cristo viveu aqui, realizar a obra que Ele realizou, como tocar nas pessoas, aliviar a dor, a fome, a solidão, oferecer a vida eterna.

O testemunho de abnegação da vida de Paulo nos constrange. Tal vida parafraseia a essência do reino de Deus que Cristo revelou, ame a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.

Paulo declara: “Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro. Caso continue vivendo no corpo, terei fruto do meu trabalho. E já não sei o que escolher! Estou pressionado dos dois lados: desejo partir e estar com Cristo, o que é muito melhor;
contudo, é mais necessário, por causa de vocês, que eu permaneça no corpo. Convencido disso, sei que vou permanecer e continuar com todos vocês, para o seu progresso e alegria na fé, a fim de que, pela minha presença, outra vez a exultação de vocês em Cristo Jesus transborde por minha causa.” Filipenses 1:21-26 (NVI).

Dar a vida pelo próximo, que grande missão! Ou provavelmente podemos pensar, que desafio! Por vezes indagamos quem seria nosso próximo. Numa ordem de proximidade meu próximo seria minha família, meu cônjuge, meus filhos, meus pais, meus irmãos, meus amigos, todo aquele que tenho contato no meu dia a dia aqui ou aquele distantes de quem recebo notícias. Dar a vida por alguém exige de nós sabedoria, abnegação e total conexão com Cristo. Não é satisfazer os simples desejos ou caprichos de alguém, mas atender as suas reais necessidades, dar o que verdadeiramente tem valor e que lhe trará o bem estar aqui e a vida eterna no porvir. Todo o nosso viver, tudo o que fazemos deve ter esse objetivo. Essa foi a obra e missão de Cristo, é o evangelismo de ponta, a vida no seu mais alto nível de existência e êxito. Deixar nossos próprios interesses, conforto e até mesmo deixar de satisfazer nossas próprias necessidades para o bem e a salvação de outros. Somente através desse método, o método de Cristo, obteremos o verdadeiro sucesso em alcançar as pessoas.

“Nossa vida deve ser consagrada ao bem e à felicidade dos outros, como foi a de nosso Salvador. Essa é a alegria dos anjos e o trabalho em que eles estão envolvidos. O espírito do amor abnegado de Cristo é o espírito que existe no Céu e a essência da alegria que existe ali. Esse deve ser nosso espírito, se desejamos estar em condições de fazer parte da sociedade das hostes angelicais. À medida que o amor de Cristo nos enche o coração e nos rege a vida, o egoísmo e o amor da comodidade serão vencidos. Nosso prazer consistirá em fazer a vontade de nosso Senhor, a quem esperamos ver em breve.” (Signs of the Times, 10 de novembro de 1887). Aqui está um conceito totalmente contrário aos conceitos do mundo. Contrário ao que aprendemos em nossas escolas e universidades. O conceito, a missão e o estilo de vida que Deus nos mostra aqui é a base da verdadeira educação e devemos através do poder divino aplicar em nossa vida e passar para nossos filhos.

“Jesus em breve voltará. Nós, que cremos nessa verdade solene, devemos advertir o mundo. Devemos mostrar por meio de nossa roupa, de nossas conversas e de nossas ações que nossa mente está fixada em algo melhor do que os negócios e prazeres desta vida efêmera. Somos senão peregrinos e estrangeiros aqui. Devemos dar evidência de que estamos prontos, aguardando o aparecimento de nosso divino Senhor. Permita que o mundo veja que você está a caminho de uma terra melhor – para uma herança imortal que nunca terá fim. Você não se pode permitir dedicar a vida para as coisas deste mundo. Sua preocupação deve estar em se preparar para o lar que o aguarda no reino de Deus. (Signs of the Times, 10 de novembro de 1887).” Que nosso desejo e oração sejam amarmos e vivermos zelosamente em favor da salvação do nosso próximo.

Por: Dawerne Bazan

Abnegação: A Essência da Missão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *